Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Vaia e reserva no Milan ainda irritam Rivaldo



12/09/2003 | 00:13


Rivaldo aprendeu ao longo da sua carreira a não deixar nada sem resposta. Principalmente depois de conseguir o pentacampeonato mundial no Japão. O jogador está desgostoso com sua situação no Milan e na Seleção Brasileira, mas os motivos são diferentes.

No milionário clube italiano, não se conforma com a reserva e se a situação não mudar, ele promete até mudar de time no final do ano. E na Seleção, não acha justa as vaias que recebe da torcida. Por tudo que já fez e acredita poder repetir em campo. Mas sua reação não será abandonar as convocações. Pelo contrário. Vai comprar a briga, mudar a opinião dos torcedores e calar as críticas mais uma vez.

"Fiquei muito chateado com a reação dos torcedores em Manaus. Bastava eu chegar perto das laterais do campo que eu já ouvia as vaias e os palavrões", contou Rivaldo, no desembarque da Seleção em São Paulo, depois da vitória por 1 a 0 sobre o Equador.

Rivaldo sabe que o fato de estar na reserva no Milan atrapalha o seu desempenho. Mas promete colocar um fim nesta situação. De um jeito ou de outro. "Na temporada passada concordei com a reserva. Cheguei abaixo fisicamente e depois me contundi em um time já montado. Conversei com o técnico Carlo Ancelotti e desta vez terei meu lugar como titular", garantiu.

O brasileiro ameaça até sair caso não seja escalado. "Respeito o grupo, o Milan, o treinador, mas se for para continuar na reserva, vou procurar o meu lugar em outro clube", afirmou Rivaldo.

Equilíbrio - O técnico Carlos Alberto Parreira prevê que as Eliminatórias para o Mundial de 2006 vão ser marcadas por muito equilíbrio e aposta na classificação de pelo menos duas seleções para a Copa da Alemanha: Brasil e Equador. "É muito cedo ainda para dizer quem vai se classificar ou ficar fora. Mas os resultados foram muito interessantes. Um time (Uruguai) ganha de cinco e depois perde de goleada. Outro (Paraguai) leva quatro gols na estréia e depois dá goleada."

O treinador disse acreditar na classificação do Equador por ser um time maduro, experiente – a maioria disputou a Copa de 2002. "Foi o segundo colocado nas últimas eliminatórias, ficando à nossa frente. Nos venceu por 1 a 0 em Quito e perdeu no Brasil por 3 a 2. Com certeza, nem vai precisar da repescagem para chegar entre os quatro primeiros."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;