Esportes Titulo Pleno do STJD conhece integrant
CBF indica duas mulheres pela primeira vez
10/07/2024 | 17:13
Compartilhar notícia
FOTO: Lucas Figuereido/CBF


A Confederação Brasileira de Futebol indicou duas mulheres pela primeira vez na história para integrar o Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Nunca antes a entidade havia designado integrantes do sexo feminino para o cargo. As nomeadas foram as advogadas Mariana Barros Barreiras e Antonieta da Silva Pinto.

"As duas advogadas são brilhantes profissionais, com sólida formação, além de terem muita competência e uma bela trajetória. A Justiça Desportiva ficará ainda mais forte com a doutora Mariana e a doutora Antonieta. A nomeação das duas auditoras também faz parte da iniciativa da CBF de dar cada vez mais protagonismo às mulheres no futebol", afirmou o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

O Pleno do STJD é formado por nove integrantes. Além das duas indicações da CBF, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), os clubes e a Comissão de Atletas têm direito a nomear dois representantes cada. Já a entidade que representa os árbitros têm direito a um assento no Tribunal Esportivo.

"Queremos mulheres jogando futebol, mas também atuando em todos os setores, na arbitragem, na medicina, atuando como executivas e agora na Justiça Desportiva", completou o mandatário.

Elas tomam posse na quinta-feira na sessão que definirá também o novo presidente do STJD. O único auditor remanescente é Luiz Felipe Bulus, escolhido pelos clubes, que também indicaram Marcelo Augusto Belize. Já os nomes designados pela OAB são: Sérgio Henrique Furtado Coelho Filho e Marco Aurélio de Lima Choy.

O Pleno ainda conta com Rodrigo Aiache Cordeiro, representante dos árbitros, e com Luis Otávio Veríssimo Teixeira e Maxweel Borges de Moura Vieira, indicados pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf).




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;