Política Titulo Em podcast
Vereadores da região detalham projetos de tarifa zero

Carlos Ferreira, de Santo André, e Ivan Silva, de São Bernardo, participaram do ‘Política em Cena’, realizado pelo ‘Diário’

Mariana Gutierrez
30/05/2024 | 14:30
Compartilhar notícia
Ivan Silva e Carlos Ferreira (dir.) dizem que sofrimento da população motivou os projetos (FOTO: Claudinei Plaza/DGABC)


Os vereadores Ivan Silva (PRTB), líder do governo na Câmara de São Bernardo, e Carlos Ferreira (MDB), presidente do Legislativo de Santo André, participaram ontem do Política em Cena, podcast do Diário, e debateram os projetos de tarifa zero para o transporte público. Eles protocolaram projetos semelhantes em suas respectivas cidades. 

Diante das vertentes que se relacionam ao tema, os parlamentares destacaram o interesse em ajudar as pessoas que estão em situação de vulnerabilidade social. “É a nossa sensibilidade com o problema da comunidade. Nós sabemos que a necessidade, a dificuldade financeira, é o que mais prejudica esses nossos eleitores, então a gente quer ajudar,” lembrou Carlos Ferreira. 

Ivan Silva compartilhou uma situação que o levou a pensar na tarifa zero. “Na minha região, no Jardim Silvina, você pega a Avenida José Fornari, tem um grande paredão, e é comum ver a população indo a pé trabalhar. Aquilo foi um dos motivos (de idealizar o projeto), as pessoas têm dificuldade,” enfatizou.

Questionados sobre o financiamento do projeto, os vereadores entraram em consenso sobre a necessidade de estudo para viabilizar os recursos, já que Santo André teria um gasto aproximado entre R$ 300 milhões a R$ 350 milhões por ano para manter a gratuidade, e São Bernardo, em torno de R$ 500 milhões.

Um dos possíveis recursos apontados pelos líderes para financiar o passe livre seria o valor arrecadado pela aplicação de multas, ideia que não foi bem aceita por parte da população. “Eu sou contra a indústria de multa. A população sempre questiona: para onde vai o dinheiro da multa? Então, esse projeto não vai fomentar a indústria da multa. A gente espera que as pessoas não tomem multa”, disse Silva, enfatizando que os valores gerados pelas infrações seriam um recurso, mas não o meio principal para custear todo a tarifa zero.

Em Santo André, usuários pagam R$ 5,70 pela passagem. O valor é de R$ 5,95 em São Bernardo. Ferreira e Silva afirmaram que os projetos estão em fase de estudos e que mais detalhes, como o financiamento, aumento da frota e impacto econômico devem levar até três meses, em média, para serem respondidos.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;