Política Titulo Encontro
ONG de Mauá recorre a Marinho por repasses para ampliar atuação

Associação Estrela Azul se aproxima de ministro do Trabalho e Emprego em busca de verba federal para dobrar capacidade de formar aprendizes

Evaldo Novelini
26/05/2024 | 08:00
Compartilhar notícia
Divulgação


O ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho (PT), encontrou-se na sexta-feira, na Capital paulista, com comitiva da Associação Estrela Azul, organização não governamental de Mauá que atua na formação de aprendizes para empresas do Grande ABC. A entidade pleiteia verbas federais para dobrar o número de atendimentos de crianças e adolescentes em cursos profissionalizantes, das atuais 400 para 800 vagas.

“O encontro com o ministro foi para alinhar com ele o possível encaminhamento de emendas parlamentares para a continuidade deste trabalho”, contou o presidente da ONG, Luiz Ferreira, ao Diário. Marinho teria colocado a estrutura da Pasta à disposição dos mauaenses para ajudar na interlocu-ção com autoridades federais que podem auxiliar na expansão da capacidade de atendimento da Estrela Azul.

Fundada em 1981 no Jardim Zaíra, um dos bairros mais pobres de Mauá, a ONG atende a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade ou risco social. Os programas e a estrutura da entidade são custeados por parcerias com os governos municipal, estadual e federal, com o apoio de empresas privadas da região e da comunidade.

Atualmente, a Estrela Azul fornece aulas e atividades culturais e esportivas a 576 alunos de 6 a 17 anos. Também oferece cursos profissionalizantes a 400 aprendizes. Em mais de quatro décadas de atuação, a ONG já formou 4.500 profissionais. “São gerentes de bancos, gerentes de rede de supermercados, advogados, psicólogos e nutricionistas”, ilustra Ferreira.

Segundo o presidente, boa parte dos aprendizes capacitados nos cursos da Estrela Azul já sai empregada em firmas da cidade e da região. Nilpel, Sabor & Minas, Nevada Supermercados, Lourencini Supermercados, Litoral Park Estacionamentos, Tanesfil, Cooper, Polarfix e Ferkoda são algumas delas. 

A entidade planeja dobrar o número de vagas em seus cursos profissionalizantes. Para isso, está revitalizando espaço de 400 metros quadrados no Centro de Mauá, localizado no prédio do Rotary Club. No ano que vem, está programada a reforma total da sede da Rua Francisco Toledo, no Jardim Zaíra. O imóvel de 1.800 m² vai abrigar 20 salas de aula, auditório para 250 pessoas, quadra poliesportiva, área de lazer, departamento administrativo e estacionamento.

Ex-secretário nas administrações de Santo André e São Caetano, nas gestões de Aidan Ravin (2009-2012) e Paulo Pinheiro (2013-2016), respectivamente, Nilson Bonome é um dos voluntários da Associação Estrela Azul. Foi ele quem viabilizou o encontro dos representantes da entidade com Marinho. A captação de verbas federais, diz, é essencial para a continuidade do trabalho da ONG.

“Eu, por exemplo, fui vendedor ambulante e só consegui ter um aprendizado na principal escola, que é a vida. Porém, o trabalho profissionalizante que a Estrela Azul desenvolve é de suma importância não só para a cidade de Mauá como para as futuras gerações, que certamente já saem de lá grande parte empregada ou formada em alguma profissão”, declara Bonome.

O ex-secretário relata que o ministro do Trabalho e Emprego ficou bastante impressionado com os números da entidade, especialmente com a quantidade de jovens aprendizes capacitados nas salas de aulas da ONG, e se dispôs a colaborar, dizendo que fará “o que for possível”, para o fortalecimento do trabalho da Estrela Azul, em Mauá.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;