Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 13 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Primeiras-damas fazem reuniao em favor das crianças


Do Diário do Grande ABC

01/10/1999 | 18:16


Vinte por cento das crianças que nascem a cada ano na América Latina sao filhos de maes adolescentes; 3% deles, de maes com menos de 15 anos.

A denúncia foi feita sexta-feira por Irene Klinger, responsável pelas relaçoes exteriores da Organizaçao Pan-Americana de Saúde durante a nona Conferência de primeiras-damas das Américas, concluída nesta sexta-feira no Canadá.

Segundo ela, estas ``adolescentes e seus filhos estao na faixa de risco, com uma alta taxa de mortalidade e morbidade, já que a gravidez precoce leva a complicaçoes''.

Destacou que a maioria destas adolescentes vivem nas comunidades mais pobres do continente, e nao têm acesso a métodos contraceptivos, pelo que muitas decidem por abortos. Irene Klinger lembrou que 16% do índice de mortalidade materna na América Latina deve-se a complicaçoes causadas por aborto.

Mais de 30 mulheres das Américas do Norte, Sul e do Caribe, entre elas Hillary Clinton, estiveram presentes ao encontro, concluído sexta-feira, com um apelo, também, a que os governos prestem mais atençao às crianças, na fase pré-escolar.

A primeira Conferência desse tipo foi realizada em 1991 na Venezuela. A primeira-dama do Haiti, Geri Benoit-Preval, anunciou que a décima conferência será realizada em Porto Príncipe de 4 a 7 de setembro do ano 2000.

Na sessao de sexta-feira, Aline Chretien, mulher do primeiro-ministro canadense, Jean Chretien, declarou que a pobreza continuava sendo um grave problema no continente, embora fosse possível ajudar as crianças dessas famílias criando programas específicos para os pequenos e suas maes. Aline mostrou-se cheia de esperança: ``tendo crescido numa comunidade pobre e visto muitos de minha geraçao terem se transformado em adultos sadios e prósperos, sei que nascer na pobreza nao significa nao poder escapar dela'', afirmou, em espanhol fluente.

Para Elaine Wolfensohn, mulher do presidente do Banco Mundial, ``o desafio para a próximo século'', ``é encontrar a forma de fazer com que todas as crianças, ricas ou pobres, recebam uma formaçao física e mental adequada, para que todas possam freqüentar a escola prontas para aprender e se transformarem em adultos capazes de trabalhar e amar''.

Ela lembrou a importância dos cuidados nos primeiros anos de vida. A primeira-dama dos EUA, Hillary Rodham Clinton, anunciou quinta-feira que a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) destinará dois milhoes de dólares para estudar a resistência aos antibióticos na América Latina e no Caribe.

Hillary Clinton explicou que a diarréia e as infecçoes respiratórias agudas sao a maior causa de mortalidade infantil na regiao latino-americana e no Caribe. Segundo ela, as crianças destas regioes estao ficando imunes aos antibióticos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Primeiras-damas fazem reuniao em favor das crianças

Do Diário do Grande ABC

01/10/1999 | 18:16


Vinte por cento das crianças que nascem a cada ano na América Latina sao filhos de maes adolescentes; 3% deles, de maes com menos de 15 anos.

A denúncia foi feita sexta-feira por Irene Klinger, responsável pelas relaçoes exteriores da Organizaçao Pan-Americana de Saúde durante a nona Conferência de primeiras-damas das Américas, concluída nesta sexta-feira no Canadá.

Segundo ela, estas ``adolescentes e seus filhos estao na faixa de risco, com uma alta taxa de mortalidade e morbidade, já que a gravidez precoce leva a complicaçoes''.

Destacou que a maioria destas adolescentes vivem nas comunidades mais pobres do continente, e nao têm acesso a métodos contraceptivos, pelo que muitas decidem por abortos. Irene Klinger lembrou que 16% do índice de mortalidade materna na América Latina deve-se a complicaçoes causadas por aborto.

Mais de 30 mulheres das Américas do Norte, Sul e do Caribe, entre elas Hillary Clinton, estiveram presentes ao encontro, concluído sexta-feira, com um apelo, também, a que os governos prestem mais atençao às crianças, na fase pré-escolar.

A primeira Conferência desse tipo foi realizada em 1991 na Venezuela. A primeira-dama do Haiti, Geri Benoit-Preval, anunciou que a décima conferência será realizada em Porto Príncipe de 4 a 7 de setembro do ano 2000.

Na sessao de sexta-feira, Aline Chretien, mulher do primeiro-ministro canadense, Jean Chretien, declarou que a pobreza continuava sendo um grave problema no continente, embora fosse possível ajudar as crianças dessas famílias criando programas específicos para os pequenos e suas maes. Aline mostrou-se cheia de esperança: ``tendo crescido numa comunidade pobre e visto muitos de minha geraçao terem se transformado em adultos sadios e prósperos, sei que nascer na pobreza nao significa nao poder escapar dela'', afirmou, em espanhol fluente.

Para Elaine Wolfensohn, mulher do presidente do Banco Mundial, ``o desafio para a próximo século'', ``é encontrar a forma de fazer com que todas as crianças, ricas ou pobres, recebam uma formaçao física e mental adequada, para que todas possam freqüentar a escola prontas para aprender e se transformarem em adultos capazes de trabalhar e amar''.

Ela lembrou a importância dos cuidados nos primeiros anos de vida. A primeira-dama dos EUA, Hillary Rodham Clinton, anunciou quinta-feira que a Agência Americana para o Desenvolvimento Internacional (USAID) destinará dois milhoes de dólares para estudar a resistência aos antibióticos na América Latina e no Caribe.

Hillary Clinton explicou que a diarréia e as infecçoes respiratórias agudas sao a maior causa de mortalidade infantil na regiao latino-americana e no Caribe. Segundo ela, as crianças destas regioes estao ficando imunes aos antibióticos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;