Economia Titulo
EUA: Fed deve reduzir capital exigido a bancos em proposta regulatória
19/05/2024 | 20:12
Compartilhar notícia


O Federal Reserve (Fed) e dois outros reguladores federais estão avançando em direção a um novo plano que reduziria significativamente um aumento obrigatório de capital exigido de quase 20% para os maiores bancos dos EUA, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

Os aumentos de capital para bancos como o JPMorgan e o Goldman Sachs - destinados a garantir que dispõem de reservas suficientes para absorver potenciais perdas - seriam, em média, cerca de metade do que foi originalmente proposto.

Seria uma grande vitória para os bancos, que alegam que as regras teriam reduzido os lucros e prejudicado os empréstimos. Trata-se também de uma mudança no equilíbrio de poder entre os grandes bancos e os seus reguladores, virando a página numa era em que o Fed detinha a vantagem.

Em uma reunião em Washington no ano passado, o CEO do JPMorgan, Jamie Dimon, disse a líderes de outros bancos para ignorarem Michael Barr, o vice-presidente do banco central para a supervisão bancária e o principal arquiteto do plano original. Dimon instou os seus colegas banqueiros a pressionarem outros dirigentes do Fed, em particular o presidente Jerome Powell, para alterarem as regras de capital propostas.

Os banqueiros esperam capitalizar de um racha interno dentro do Fed.

Dimon caracterizou a proposta de Barr como "falha e mal calibrada" e pressionou publicamente para que outros dirigentes do Fed se manifestassem. "Que pessoa, em que torre de marfim, pensa que isso é uma coisa racional a se fazer?" Dimon disse em uma conferência em setembro passado. "Gostaria de saber o que os outros governadores pensam."

Ele também expressou frustração com os reguladores em geral, dizendo na sua carta anual aos acionistas que as relações dos bancos com eles "deterioraram-se e...são cada vez menos construtivas".

Os CEOs dos grandes bancos dos EUA reuniram-se com Powell várias vezes entre julho e março passado, de acordo com o calendário público do banqueiro central. Isso incluiu quatro reuniões ou ligações com Dimon.

Na sexta-feira, 17, o Fed divulgou calendários mostrando que Barr se reuniu 15 vezes com os CEOs dos maiores bancos dos EUA durante o mesmo período. Ele também se reuniu com Dimon em abril e maio, disse um porta-voz do Fed.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;