Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Oswaldo Dias agora luta contra a inelegibilidade


Sérgio Vieira
Do Diário do Grande ABC

13/11/2007 | 09:36


Um dia depois de derrotar o ex-vice-prefeito Márcio Chaves e ser escolhido como o candidato petista à Prefeitura de Mauá em 2008, o ex-prefeito Oswaldo Dias volta agora suas atenções para a votação de suas contas de 2004, já rejeitadas pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), na próxima semana, na Câmara.

Depois de sucessivos adiamentos, os vereadores governistas devem seguir o TCE e rejeitar a prestação de contas do último ano da administração petista. A decisão da Câmara pode deixar Oswaldo Dias inelegível.

Mesmo que seja derrotado no Legislativo, o candidato petista assegura que disputará a eleição. “Se isso acontecer, nós vamos recorrer ao Judiciário. Nem Câmara nem Tribunal de Contas têm poder de Justiça.” Ele ainda diz: “É claro que me preocupo com as contas, mas fui escolhido pela militância e não há chance de eu não ser o candidato do PT em 2008”.

Apesar de já haver um acerto no grupo de sustentação do prefeito Leonel Damo (PV) pela rejeição das contas, Oswaldo diz que conversará com os vereadores para tentar reverter a tendência.

Em discurso diferente do que foi combinado com os parlamentares, Damo garante que não irá interferir na decisão dos vereadores. “Nesta questão eu não me meto.” Porém escorrega ao dizer o que faria se fosse vereador. “Se o Tribunal de Contas do Estado rejeitou, é porque tem alguma coisa errada. Eu manteria essa decisão”, afirma.

Mas em setembro, a Câmara aprovou as contas de 2005 de Damo e do tucano Diniz Lopes (que governou interinamente até 6 de dezembro), modificando a decisão do TCE, que emitiu parecer pela rejeição.

Oswaldo diz que, agora, a discussão sobre o plano de governo e política de alianças será feita logo após o PED (Processo de Eleição Direta), para a presidência do diretório municipal, no início de dezembro. O prefeiturável petista apoiará o atual vice-presidente do PT, o ex-vereador Hélcio da Silva. Procurado ontem à tarde, Márcio – atual presidente do PT de Mauá – não foi localizado.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Oswaldo Dias agora luta contra a inelegibilidade

Sérgio Vieira
Do Diário do Grande ABC

13/11/2007 | 09:36


Um dia depois de derrotar o ex-vice-prefeito Márcio Chaves e ser escolhido como o candidato petista à Prefeitura de Mauá em 2008, o ex-prefeito Oswaldo Dias volta agora suas atenções para a votação de suas contas de 2004, já rejeitadas pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), na próxima semana, na Câmara.

Depois de sucessivos adiamentos, os vereadores governistas devem seguir o TCE e rejeitar a prestação de contas do último ano da administração petista. A decisão da Câmara pode deixar Oswaldo Dias inelegível.

Mesmo que seja derrotado no Legislativo, o candidato petista assegura que disputará a eleição. “Se isso acontecer, nós vamos recorrer ao Judiciário. Nem Câmara nem Tribunal de Contas têm poder de Justiça.” Ele ainda diz: “É claro que me preocupo com as contas, mas fui escolhido pela militância e não há chance de eu não ser o candidato do PT em 2008”.

Apesar de já haver um acerto no grupo de sustentação do prefeito Leonel Damo (PV) pela rejeição das contas, Oswaldo diz que conversará com os vereadores para tentar reverter a tendência.

Em discurso diferente do que foi combinado com os parlamentares, Damo garante que não irá interferir na decisão dos vereadores. “Nesta questão eu não me meto.” Porém escorrega ao dizer o que faria se fosse vereador. “Se o Tribunal de Contas do Estado rejeitou, é porque tem alguma coisa errada. Eu manteria essa decisão”, afirma.

Mas em setembro, a Câmara aprovou as contas de 2005 de Damo e do tucano Diniz Lopes (que governou interinamente até 6 de dezembro), modificando a decisão do TCE, que emitiu parecer pela rejeição.

Oswaldo diz que, agora, a discussão sobre o plano de governo e política de alianças será feita logo após o PED (Processo de Eleição Direta), para a presidência do diretório municipal, no início de dezembro. O prefeiturável petista apoiará o atual vice-presidente do PT, o ex-vereador Hélcio da Silva. Procurado ontem à tarde, Márcio – atual presidente do PT de Mauá – não foi localizado.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;