Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Sindicato de Sto.André contabiliza R$ 13,12 milhões pagos em PLR


Frederico Rebello Nehme
Do Diário do Grande ABC

08/07/2004 | 21:54


O Sindicato dos Metalúrgicos de Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra anunciou que a PLR (Participação nos Lucros e Resultados) paga aos trabalhadores dessas cidades atingiu R$ 13,12 milhões em 2004. O valor, que representa um aumento de 30% em relação a 2003, segundo o presidente do sindicato, Cícero Firmino, o Martinha, pode chegar a R$ 15 milhões. Cerca de 11 mil trabalhadores receberam pelo menos uma parcela da PLR. Outros 7 mil funcionários de pequenas e médias empresas ainda devem receber o dinheiro no segundo semestre.

"Neste ano, os empresários tiveram uma consciência melhor do impacto da PLR na economia da região e também do impacto como estímulo aos seus funcionários. A conjuntura econômica do país ajudou o processo de negociação", afirmou Firmino.

A fase de negociação com as micro e pequenas, no entanto, que deve se encerrar no início do segundo semestre, será mais difícil, segundo o presidente do sindicato. "Essas empresas não têm uma cultura tão forte de pagar a PLR. É preciso um trabalho de convencimento maior."

O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que representa cerca de 90 mil trabalhadores de São Bernardo, também espera crescimento no repasse de PLR – que, em 2003, alcançou R$ 129 milhões – mas não especificou valores.

"Temos uma expectativa de aumento, pois sempre que temos crescimento econômico as negociações ficam mais fáceis e alcançamos melhores resultados. Quando a produção industrial é maior, a PLR também cresce", afirmou o presidente do sindicato, José Lopez Feijóo.

O Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano não tem estimativas sobre o valor total que será recebido pelos trabalhadores da cidade por meio da PLR.

Aquecimento – Para Firmino, uma das principais consequências do aumento do valor da PLR é o aquecimento da economia do Grande ABC. "Esse dinheiro será convertido em bens comprados aqui e em serviços da região, tornando-se uma importante ferramenta de desenvolvimento."

O metalúrgico Paulo Sérgio Janeiro, 40 anos, que trabalha na Cofap, investiu o valor recebido de PLR (R$ 830, na primeira parcela) na compra de um aparelho de som e na reforma de um cômodo de sua casa. "Não só eu como todos os trabalhadores planejamos comprar alguma coisa com a PLR. É um dinheiro extra que podemos usar da melhor maneira possível."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;