Nacional Titulo
Projeto estabelece prioridades na aplicação do Fundo Nacional de Segurança Pública
26/02/2024 | 17:33
Compartilhar notícia


Projeto de lei em tramitação na Câmara dos Deputados determina prioridades na aplicação dos recursos de transferência obrigatória do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP) para os Estados. A proposta é que as verbas sejam investidas, primeiramente, em:

- programas de saúde mental de policiais;

- policiamento comunitário;

- redução da letalidade policial;

- equipamento de investigação;

- câmeras corporais.

O fundo, instituído em 2001, tem por objetivo garantir recursos para apoiar projetos, atividades e ações nas áreas de segurança pública e de prevenção à violência, observadas as diretrizes do Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social. Atualmente, a lei que regulamenta o FNSP não estabelece prioridades. De acordo com o Portal da Transparência da Controladoria-Geral da União (CGU), o orçamento previsto para 2024 do fundo é de R$ 2,2 bilhões.

O repasse desse dinheiro ficará condicionado à existência de critérios para promoção de guardas civis municipais, bombeiros, peritos, policiais civis e militares.

Além das prioridades, a matéria determina que 30% dos recursos do FNSP oriundos de loterias sejam destinados aos municípios para serem aplicados em programas de prevenção à violência e ao crime. Para a autora do projeto, deputada Delegada Adriana Accorsi (PT-GO), é na esfera do município que a segurança pública ganha maior dimensão como um direito social.

A proposta será analisada pelas comissões de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e da Cidadania. Como tramita em caráter conclusivo, se aprovada nas comissões, a proposta não precisa ir à votação em plenário.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;