Setecidades Titulo Operação Escudo
Ação da PM leva Ouvidoria da Polícia à Baixada Santista

Órgão estadual diz que está aberto para receber denúncias da população do Litoral

Por Da Agência Brasil
12/02/2024 | 07:55
Compartilhar notícia
Ouvidoria quer ouvir população sobre ação da PM (FOTO: André Henriques/DGABC)


O ouvidor da Polícia de São Paulo, Claudio Aparecido da Silva, e uma comitiva de entidades de direitos humanos se deslocaram ontem da Capital ao Litoral para colher informações sobre a atuação dos policiais na Operação Escudo. A ação da polícia, iniciada no dia 2, já deixou 18 civis mortos, até sábado, em supostos confrontos com os agentes. 

“A partir de denúncias que nos têm chegado através de moradores e grupos em redes sociais, com vídeos, fotos e áudios, nota-se um recrudescimento assimétrico da violência nos últimos quatro dias, com ênfase para a última sexta- feira, percepção que parte não apenas desta ouvidoria, mas compartilhada por diversas instituições e entidades de direitos humanos que têm atuado no episódio”, disse a Ouvidoria da Polícia de São Paulo, em nota.

Ouvidoria informou ainda que permanece aberta para receber denúncias da população e dos agentes de segurança que se sentirem pressionados ou violados em seus direitos. As denúncias podem ser feitas por WhatsApp (11 97469 9812); por telefone: 08000 17 70 70 ou por e-mail ouvidoriadapolicia@sp.gov.br. Também é possível comparecer presencialmente à Ouvidoria – na Rua Japurá, 42, Bela Vista, São Paulo – de segunda-feira a sexta-feira, das 9 às 15h.

Em nota, a SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou que todos os casos estão sendo apurados e que, desde o início do ano, foram registradas seis mortes de policiais, sendo quatro PMs ativos e um inativo, e um policial civil em serviço.

A nova fase da Operação Escudo foi lançada como reação à morte do policial militar da Rota Samuel Wesley Cosmo, em Santos, no dia 2.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;