Política Titulo Para ficar na história
Grande ABC tem somente uma mulher preta no Poder Executivo

Patty Ferreira, vice em Diadema, foi a 1ª negra a assumir como prefeita

Luiza Feitosa
Especial para o Diário
19/11/2023 | 07:00
Compartilhar notícia
DGABC


A vice-prefeita da Diadema, Patty Ferreira (PT), é a única mulher preta a ocupar um cargo no Poder Executivo nas prefeituras do Grande ABC. Cabeleireira e dona de um salão-escola, ela exerceu a profissão até assumir o cargo no Paço, em janeiro de 2021, condição que a levou também a se tornar a primeira mulher negra a comandar uma Prefeitura na região ao substituir José de Filippi Júnior (PT) em suas férias ou no período em que ficou afastado para tratamento de saúde. 

“Para muitos, a mulher preta está fadada a ser doméstica e diarista. Ver alguém como eu sendo vice-prefeita é muito importante para a causa, pois quanto mais mostramos nossa cara, mais pessoas irão nos enxergar e respeitar”, disse Patty ao Diário, de modo a ressaltar a relevância do cargo que ocupa para o movimento de luta antirracial, em razão da visibilidade e de poder estar à frente de ações afirmativas na cidade.

Segundo Patty, a cidade tem realizado diversos programas focados na população negra, como o Diadema de Dandara e Piatã, com foco no ensino da cultura afro-brasileira nas escolas municipais. Ela lembra ainda que, recentemente, foi promovido curso de formação para educadores sobre gênero, classe e raça, e criada a ouvidoria de crimes raciais, que oferece ajuda jurídica a pessoas vítimas de racismo. Outra ação que tem à frente a Prefeitura são eventos realizados ao longo deste mês para combater o preconceito.

Perguntada sobre o fato de ser a única mulher negra no Poder Executivo no Grande ABC, Patty demonstrou descontentamento. “Me sinto triste, pois sei que tem várias outras mulheres que podiam ocupar esses lugares políticos como eu, mas para isso é necessário combater o racismo e o machismo estrutural”, citou.

“Torço por um futuro mais diverso dentro da política, com mais negros, mulheres, LGBTQIA+. Porém, esses lugares (espaço na política) não devem ser apenas pelas aparências. Essas pessoas precisam de uma abertura para participar de verdade”, comentou, sobre a esperança de maior representatividade na política.

A vice disse que não levanta a bandeira da igualdade apenas para si, mas para todo o povo preto que acaba sendo colocado em segundo plano. E avalia que a luta contra o racismo não acabou para ela, mesmo após assumir. “Já teve casos de ir em uma reunião, chegar mais cedo e mandarem eu esperar a vice-prefeita chegar. Por conta do meu arquétipo, muitos acabam duvidando de mim antes de saber quem sou.”




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;