Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Coro santista é absoluto contra arbitragem


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

31/05/2010 | 07:00


Sobrou lamentação no lado santista após o clássico de ontem contra o Corinthians, e praticamente em som único. Sobretudo pela atuação da arbitragem e o possível benefício recorrente ao rival de ontem. "É o terceiro jogo que o Corinthians faz no Pacaembu e o terceiro em que eles são ajudados. A Comissão de Arbitragem tem de começar a rever quem apita os jogos", criticou o zagueiro Edu Dracena. "Teve um gol nosso mal anulado no primeiro tempo (por impedimento) e, no segundo deles, houve falta em mim", completou o defensor, visivelmente transtornado ao fim da partida.

O meia Marquinhos, autor do gol invalidade, também pediu atenção a um possível benefício ao Corinthians. "Não estava em impedimento. Todo jogo o Corinthians está sendo ajudado pela arbitragem. Não sei se é coincidência ou se estão puxando o saco", disparou.

Com humor debochado na saída de campo, o técnico Dorival Júnior também citou a atuação de Salvio Spínola Filho. "É uma constatação, o impedimento e o pênalti. Perguntei se ele consultou mamãe, porque a mãe do juiz é a única que vai a favor dele. Ele falou que consultou."

Mas não apenas os lances acima citados foram reclamados pelos santistas. "O juiz hoje (ontem) está interpretando as coisas de maneira errada. No Neymar não tem falta, não", reclamou o atacante do Peixe, que deixou o campo visivelmente irritado ao ser substituído por Madson.

Na visão de Paulo Henrique Ganso, um revés em clássico faz parte e o resultado do duelo deveria ter sido outro. "Acontece, mas não queria ter perdido. O empate seria o mais justo", comentou o camisa dez, que não esqueceu de também criticar a arbitragem. "O bandeirinha errou, tem de ser cobrado. Um jogo do nível desse não pode ter um erro assim", concluiu o meia. (Com Agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Coro santista é absoluto contra arbitragem

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

31/05/2010 | 07:00


Sobrou lamentação no lado santista após o clássico de ontem contra o Corinthians, e praticamente em som único. Sobretudo pela atuação da arbitragem e o possível benefício recorrente ao rival de ontem. "É o terceiro jogo que o Corinthians faz no Pacaembu e o terceiro em que eles são ajudados. A Comissão de Arbitragem tem de começar a rever quem apita os jogos", criticou o zagueiro Edu Dracena. "Teve um gol nosso mal anulado no primeiro tempo (por impedimento) e, no segundo deles, houve falta em mim", completou o defensor, visivelmente transtornado ao fim da partida.

O meia Marquinhos, autor do gol invalidade, também pediu atenção a um possível benefício ao Corinthians. "Não estava em impedimento. Todo jogo o Corinthians está sendo ajudado pela arbitragem. Não sei se é coincidência ou se estão puxando o saco", disparou.

Com humor debochado na saída de campo, o técnico Dorival Júnior também citou a atuação de Salvio Spínola Filho. "É uma constatação, o impedimento e o pênalti. Perguntei se ele consultou mamãe, porque a mãe do juiz é a única que vai a favor dele. Ele falou que consultou."

Mas não apenas os lances acima citados foram reclamados pelos santistas. "O juiz hoje (ontem) está interpretando as coisas de maneira errada. No Neymar não tem falta, não", reclamou o atacante do Peixe, que deixou o campo visivelmente irritado ao ser substituído por Madson.

Na visão de Paulo Henrique Ganso, um revés em clássico faz parte e o resultado do duelo deveria ter sido outro. "Acontece, mas não queria ter perdido. O empate seria o mais justo", comentou o camisa dez, que não esqueceu de também criticar a arbitragem. "O bandeirinha errou, tem de ser cobrado. Um jogo do nível desse não pode ter um erro assim", concluiu o meia. (Com Agências)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;