Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Projeto que cria a TV Câmara em Sto.André é adiado


Vinícius Casagrande
Do Diário do Grande ABC

27/04/2001 | 00:18


Com a preocupação da TV Câmara poder se tornar um palanque político, os vereadores do PMDB de Santo André, Sargento Juliano e Osvaldo Moura, solicitaram na quinta o adiamento por duas sessões do projeto de resolução do vereador Ricardo Alvarez (PT) que autoriza a criação do novo canal. A TV Câmara será veiculada em um canal da operadora de canal a cabo da região (Canbras/TVA). O projeto deverá ser votado, e aprovado, somente no próximo dia 8. Durante a sessão desta quinta, a maioria dos 21 parlamentares foi favorável à criação da TV.

Juliano afirmou temer que alguns parlamentares utilizem a tribuna do Legislativo apenas para aparecerem na televisão e que não acredita que o canal possa levar benefícios à população. “Muitas pessoas poderiam utilizar de má-fé. Acho que iria tomar muito tempo. O trabalho sério tem de ser feito 24 horas. Na eleição já teve muita gente que fazia campanha na tribuna e com a TV isso seria ainda maior”, disse.

O vereador Luiz Zacarias (PTB) discordou da posição de Juliano e afirmou que a TV Câmara é uma prioridade para o Legislativo. “Tem gente procurando pêlo em ovo. Um dia a Câmara vai ter de assumir essa responsabilidade e não vejo porquê adiar essa votação. Vamos ter de fazer um estudo para a instalação, mas isso não vai ser algo imediato”, afirmou.

O autor da proposta disse que pretende forçar que a votação aconteça dia 8, independente do consenso entre os 21 vereadores. “As últimas desculpas se esgotaram hoje (quinta). O projeto pode até ser rejeitado, mas vou querer a votação”, afirmou Alvarez.

O petista acredita que a criação da TV Câmara possa, inclusive, alterar o ritmo de trabalho do Legislativo e forçar os vereadores a se posicionarem mais sobre os problemas do município. Para ele, temas como a instalação da usina termelétrica no Pólo Petroquímico podem ser mais debatidos com o auxílio do canal.

Para a implementação da TV, Alvarez afirmou que o maior problema seria o custo para a modernização dos equipamentos existentes na Câmara. Atualmente, o Legislativo tem um circuito interno de TV. “Isso é algo que ainda vamos precisar fazer um estudo, mas acredito que o custo-benefício será muito bom para a Câmara e para a sociedade”, disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;