Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Peça em prol da Feasa estréia no ABC dia 9


Mauro Fernando
Do Diário do Grande ABC

04/05/2002 | 16:10


Sétima peça realizada em benefício da Feasa (Federação das Entidades Assistenciais de Santo André), a comédia de situações O Irmão do meu Pai estréia na próxima quinta-feira (dia 9) no Teatro Municipal de Santo André. O texto é do arquiteto Euclydes Rocco e a direção, de Amaury Alvarez.

A peça reúne elenco amador sustentado por profissinais. Alvarez milita no meio artístisco há mais de 30 anos – integrou o Grupo de Teatro da Cidade, de Santo André, ao lado de Antônio Petrin e Sonia Guedes. O cenógrafo Renato Scripilliti é um dos mais conceituados do Brasil. O iluminador Donizetti de Meira trabalhou em Quatro, balé cuja direção artística é assinada por Ismael Guiser.

Mauro (o engenheiro Ério Girelli) e Pedro (o empresário Clésio Brajato) são irmãos que dividem o mesmo apartamento. O primeiro é um artista plástico cuja principal característica é o mau humor – seu talento nunca foi reconhecido. O segundo é um empresário de médio porte bem sucedido e bibliófilo. Os dois namoraram a mesma mulher, que hoje vive na França. Artur (o arquiteto Arthur Pugliese), aparentemente, é filho de Pedro.

“Um dos mistérios que a comédia desvenda é a paternidade de Artur”, diz Alvarez. O outro é a carga que contêm os livros que Pedro encomenda a Sílvia (a artista plástica e pedagoga Marli Alcantara), por quem é apaixonado. Roberto (o advogado Valdir Montagner) é o policial federal envolvido no caso.

Mauro e Pedro são os personagens que criam um contraste no espetáculo. “No fundo, há um pouco de crítica a relacionamentos familiares, mas a peça não tem nenhuma pretensão mais profunda. Ficarei muito satisfeito se o público rir durante a encenação”, afirma Rocco.

A primeira montagem promovida pela Feasa, que congrega 31 associações beneficentes, foi O Estranho Casal, texto de Neil Simon dirigido por Antônio Petrin. O espetáculo, realizado em 1990, contou com o ex-levantador da seleção brasileira de vôlei William Carvalho e a ex-primeira dama de Santo André Miriam Belchior.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Peça em prol da Feasa estréia no ABC dia 9

Mauro Fernando
Do Diário do Grande ABC

04/05/2002 | 16:10


Sétima peça realizada em benefício da Feasa (Federação das Entidades Assistenciais de Santo André), a comédia de situações O Irmão do meu Pai estréia na próxima quinta-feira (dia 9) no Teatro Municipal de Santo André. O texto é do arquiteto Euclydes Rocco e a direção, de Amaury Alvarez.

A peça reúne elenco amador sustentado por profissinais. Alvarez milita no meio artístisco há mais de 30 anos – integrou o Grupo de Teatro da Cidade, de Santo André, ao lado de Antônio Petrin e Sonia Guedes. O cenógrafo Renato Scripilliti é um dos mais conceituados do Brasil. O iluminador Donizetti de Meira trabalhou em Quatro, balé cuja direção artística é assinada por Ismael Guiser.

Mauro (o engenheiro Ério Girelli) e Pedro (o empresário Clésio Brajato) são irmãos que dividem o mesmo apartamento. O primeiro é um artista plástico cuja principal característica é o mau humor – seu talento nunca foi reconhecido. O segundo é um empresário de médio porte bem sucedido e bibliófilo. Os dois namoraram a mesma mulher, que hoje vive na França. Artur (o arquiteto Arthur Pugliese), aparentemente, é filho de Pedro.

“Um dos mistérios que a comédia desvenda é a paternidade de Artur”, diz Alvarez. O outro é a carga que contêm os livros que Pedro encomenda a Sílvia (a artista plástica e pedagoga Marli Alcantara), por quem é apaixonado. Roberto (o advogado Valdir Montagner) é o policial federal envolvido no caso.

Mauro e Pedro são os personagens que criam um contraste no espetáculo. “No fundo, há um pouco de crítica a relacionamentos familiares, mas a peça não tem nenhuma pretensão mais profunda. Ficarei muito satisfeito se o público rir durante a encenação”, afirma Rocco.

A primeira montagem promovida pela Feasa, que congrega 31 associações beneficentes, foi O Estranho Casal, texto de Neil Simon dirigido por Antônio Petrin. O espetáculo, realizado em 1990, contou com o ex-levantador da seleção brasileira de vôlei William Carvalho e a ex-primeira dama de Santo André Miriam Belchior.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;