Política Titulo Artigo
Saúde de São Bernardo destruída
Luiz Fernando Teixeira
03/06/2023 | 09:45
Compartilhar notícia


Você, um amigo ou alguém da família já precisou utilizar uma UPA, UBS ou hospital em São Bernardo? A situação é de calamidade pública. Diariamente, temos visto na imprensa inúmeros casos de fechamento de leitos, falta de medicamentos, médicos insuficientes, vazamentos, tetos desabando e dezenas de outros problemas que uma cidade gigantesca como a nossa não deveria passar.

O mais novo retrocesso na saúde de nossa cidade é o prefeito Orlando Morando fechar arbitrariamente 110 leitos no Hospital de Clínicas. Três alas do maior equipamento de saúde do município estão fechadas para reformas por conta de diversos problemas estruturais, reflexo da péssima gestão e da falta de manutenção mínima em uma unidade de saúde desse porte.

Metade da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) também foi fechada, reduzindo de 40 para 20 os leitos de urgência. A capacidade de cirurgias complexas, segundo funcionários e parentes de pacientes, caiu de 40 para apenas quatro mensalmente.

A situação no HC não é isolada. Orlando Morando e seu secretário de Saúde Geraldo Reple Sobrinho abandonaram de vez nossa população. Apenas em 2023, são dezenas de relatos de abandono e falta de manutenção.

As UBSs União, Vila São Pedro, Caminho do Mar, Areião, Rudge Ramos, Pauliceia e Vila Dayse, além da UPA Alvarenga e do Hospital de Urgência, enfrentam problemas como desabamento de parte do teto, rachaduras, mofo, umidade e piso afundando. Muitos remédios como Carvedilol, Doxazosina e até Dipirona estão em falta, sem contar as constantes perdas de médicos para outras cidades.

Orlando Morando pegou uma cidade praticamente pronta. O ex-prefeito Luiz Marinho reformou e/ou construiu 32 UBSs de São Bernardo, inaugurou 9 UPAs, 2 policlínicas, Centro Especializado de Reabilitação, 8 CAPS, entregou o Hospital de Clínicas em completo funcionamento e iniciou as obras do Hospital de Urgência.

A transformação não foi apenas na estrutura física. Unidades modernas e capacitadas possibilitaram grandes programas como o Brasil Sorridente, PID (Programa de Internação Domiciliar), Farmácia Popular, ampliação das equipes de Saúde da Família e aumento do número de agentes comunitários. 

O atual prefeito tinha apenas uma tarefa: fazer a manutenção necessária para que nossa população continuasse tendo atendimento digno e de qualidade. Nem isso conseguiu.

Nos últimos anos tenho feito uma luta muito grande pela Saúde de São Bernardo. Destinei mais de R$ 2,7 milhões em emendas parlamentares para a Santa Casa, diversas UBSs da periferia, compra de equipamentos e também para ajudar em custeios.

Fui mais uma vez ao Ministério Público cobrar medidas efetivas contra essas arbitrariedades e esse verdadeiro desmonte. Mas, mais do que isso, é necessário que o nosso povo seja o principal fiscal para que a Saúde não seja ainda mais destruída.

Luiz Fernando Teixeira é deputado estadual pelo PT.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;