Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Copa 2006 embala a venda de TVs


Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

11/04/2006 | 08:33


Há 59 dias da Copa do Mundo, as redes de hipermercados e eletroeletrônicos do Grande ABC registram crescimento médio de 50% nas vendas de televisores. Apesar de alto, algumas lojas já projetam ampliar as vendas em até 100% às vésperas da abertura do campeonato mundial de futebol. A grande aposta, desta vez, recai sobre os aparelhos de maior tecnologia, como as TVs de plasma e LCD.

O Extra contabiliza aumento de 55% nas vendas de televisores no primeiro trimestre do ano. O produto mais procurado nas lojas é a TV 29 polegadas tradicional, mas a gerente comercial da rede Extra, Rita Belizia, afirma que o consumidor já está procurando produtos de maior tecnologia. "Vemos a migração do consumidor para o aparelho de tela plana que, junto com plasma e LCD, tem apresentado forte procura."

Para a gerente, um dos fatores que ajuda a elevar o consumo de televisores é a facilidade da compra. No Extra, é possível adquirir uma TV em dez vezes sem juros. A partir de R$ 789 se adquire um aparelho de 29 polegadas da marca Cyber, que é própria da rede. A expectativa para os próximos meses é manter os 60% de aumento registrados exclusivamente no mês de março.

Outra rede que oferece televisores de marca própria é o Wal-Mart. Com o nome de Durabrand, um aparelho de 29 polegadas sai por R$ 748. "Vendemos muito a TV convencional, grande sonho de consumo das classes C e D", explica Francisco Testa, diretor comercial de eletrônicos da rede. No primeiro trimestre deste ano, o incremento das vendas nesse setor chegou a 30% e deve se expandir para até 50% no período mais próximo à Copa.

O Wal-Mart tem registrado 100% no aumento das vendas de TVs de plasma e LCD. A rede vendia um televisor de plasma por R$ 24 mil em dezembro de 2004 e, hoje, vende por R$ 8.590, em média, com a opção de parcelas em até 12 vezes sem juros no cartão Hipercard.

A loja de equipamentos eletroeletrônicos Panashop, em Santo André, acredita em um crescimento de 35% até o final da Copa. "TV é o que mais vende, apesar da procura por outros produtos, como home theater e DVDs também terem crescido. A elevação foi de 20% neste último mês, principalmente por aparelhos com tecnologia digital", conta Alexsandro Souza Matias, gerente do estabelecimento na região. Um aparelho de 29 polegadas, tela plana e com tecnologia HDTV – tecnologia digital em que será transmitida a Copa do Mundo – custa R$ 1.699, em até 12 vezes sem juros.

A Fast Shop, em Santo André, apresenta 100% de elevação na venda de TVs e deve manter o percentual nos próximos três meses. "Os aparelhos de plasma e LCD são os mais procurados. Hoje, com a oportunidade de dividir em até 12 vezes sem juros, fica o mesmo que a parcela de um carro, cerca de R$ 750", diz Rafael De Bortoli, gerente da loja do ABC. Segundo ele, os preços estão bons porque são televisores fabricados aqui no Brasil e em larga escala. A previsão é de 300 mil unidades para este ano, segundo os fabricantes.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Copa 2006 embala a venda de TVs

Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

11/04/2006 | 08:33


Há 59 dias da Copa do Mundo, as redes de hipermercados e eletroeletrônicos do Grande ABC registram crescimento médio de 50% nas vendas de televisores. Apesar de alto, algumas lojas já projetam ampliar as vendas em até 100% às vésperas da abertura do campeonato mundial de futebol. A grande aposta, desta vez, recai sobre os aparelhos de maior tecnologia, como as TVs de plasma e LCD.

O Extra contabiliza aumento de 55% nas vendas de televisores no primeiro trimestre do ano. O produto mais procurado nas lojas é a TV 29 polegadas tradicional, mas a gerente comercial da rede Extra, Rita Belizia, afirma que o consumidor já está procurando produtos de maior tecnologia. "Vemos a migração do consumidor para o aparelho de tela plana que, junto com plasma e LCD, tem apresentado forte procura."

Para a gerente, um dos fatores que ajuda a elevar o consumo de televisores é a facilidade da compra. No Extra, é possível adquirir uma TV em dez vezes sem juros. A partir de R$ 789 se adquire um aparelho de 29 polegadas da marca Cyber, que é própria da rede. A expectativa para os próximos meses é manter os 60% de aumento registrados exclusivamente no mês de março.

Outra rede que oferece televisores de marca própria é o Wal-Mart. Com o nome de Durabrand, um aparelho de 29 polegadas sai por R$ 748. "Vendemos muito a TV convencional, grande sonho de consumo das classes C e D", explica Francisco Testa, diretor comercial de eletrônicos da rede. No primeiro trimestre deste ano, o incremento das vendas nesse setor chegou a 30% e deve se expandir para até 50% no período mais próximo à Copa.

O Wal-Mart tem registrado 100% no aumento das vendas de TVs de plasma e LCD. A rede vendia um televisor de plasma por R$ 24 mil em dezembro de 2004 e, hoje, vende por R$ 8.590, em média, com a opção de parcelas em até 12 vezes sem juros no cartão Hipercard.

A loja de equipamentos eletroeletrônicos Panashop, em Santo André, acredita em um crescimento de 35% até o final da Copa. "TV é o que mais vende, apesar da procura por outros produtos, como home theater e DVDs também terem crescido. A elevação foi de 20% neste último mês, principalmente por aparelhos com tecnologia digital", conta Alexsandro Souza Matias, gerente do estabelecimento na região. Um aparelho de 29 polegadas, tela plana e com tecnologia HDTV – tecnologia digital em que será transmitida a Copa do Mundo – custa R$ 1.699, em até 12 vezes sem juros.

A Fast Shop, em Santo André, apresenta 100% de elevação na venda de TVs e deve manter o percentual nos próximos três meses. "Os aparelhos de plasma e LCD são os mais procurados. Hoje, com a oportunidade de dividir em até 12 vezes sem juros, fica o mesmo que a parcela de um carro, cerca de R$ 750", diz Rafael De Bortoli, gerente da loja do ABC. Segundo ele, os preços estão bons porque são televisores fabricados aqui no Brasil e em larga escala. A previsão é de 300 mil unidades para este ano, segundo os fabricantes.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;