Setecidades Titulo Transportes
Segunda fase do BRT-ABC depende de licença ambiental da Cetesb

Estimativa é que as 16 estações planejadas estejam prontas até o final de 2024 e trajeto São Bernardo até Tamanduateí seja feito em até 40 minutos

Beatriz Mirelle
02/03/2023 | 07:46
Compartilhar notícia
Paulo Belizário, engenheiro projetista da Systra, apresentou detalhes das obras do modal para vereadores de São Bernardo (Foto: Celso Luiz/DGABC)


A segunda etapa do BRT-ABC, sistema de ônibus de transporte rápido, precisa de licitação ambiental da Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) para começar as obras, informam técnicos responsáveis pela construção. Esse trajeto corresponde a todas estações que passam pelas fundações do ABC (Instituto Mauá, Fundação Santo André e Centro Universitário Faculdade de Medicina do ABC) até o Tamanduateí. Apesar das obras não estarem liberadas nesses trechos, as topografias e sondagens foram iniciadas. A estimativa é que as 16 vias planejadas estejam prontas até o fim de 2024 e que o expresso vá de São Bernardo até a Linha 2-Verde, do Metrô, em até 40 minutos.


As obras já começaram na etapa que compreende trecho da Avenida Lauro Gomes, em São Bernardo, entre o cruzamento com a Avenida Aldino Pinotti (Centro) e o cruzamento com a Avenida Winston Churchill (Vila Vivaldi) e estão previstas para serem finalizadas até o fim de 2023. Ao todo já são 300 pessoas contratadas de forma indireta ou direta.

As licitações, início dos investimentos e possível chegada do Metrô na região foram algumas das pautas tratadas durante a reunião feita nessa quarta-feira (1º) com os vereadores da Comissão Especial que trata do tema na Câmara de São Bernardo e os técnicos das empresas Next Mobilidade, responsável pela obra, e Systra, companhia de engenharia e infraestruturas de transporte. “A Comissão foi criada para acompanhar o processo até a finalização. A empresa não é obrigada a vir e mesmo assim vieram. É um passo importante. As licenças já estão ok. Até o final deste ano, eles já finalizam as obras em São Bernardo”, declarou o presidente da Comissão, vereador Jorge Araújo (PHS), ao Diário.

“É de suma importância que nós como parlamentares possamos estar a par de tudo que está acontecendo”, pontuou o vereador Julinho Fuzari (PPS), que questionou a Next Mobilidade se o Metrô poderia causar alguma interferência na conclusão do BRT, o que foi rejetiado pelo vice-presidente da Next, José Lindolfo. “Quando fazemos projeções, já imaginamos esses percalços. Mesmo assim, acreditamos que temos a capacidade de transportar muito mais no futuro. Se não confiássemos no modelo do BRT, não faríamos essa aposta”, disse.

De acordo com o vice-presidente da Next, as obras no terminal de São Bernardo estão paralisadas por reconfiguração no projeto. “Pretendemos fazer um terminal bem maior. Ele será remodelado. Fizemos tratativas com a Prefeitura. O projeto executivo está sendo finalizado e vamos retomar”, disse sem dar uma previsão para essa continuidade. 




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;