Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 2 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Comércio exterior: novos rumos

Apesar da crise econômica global, não se pode dizer que o comércio...


Dgabc

22/10/2012 | 00:00


Artigo

Apesar da crise econômica global, não se pode dizer que o comércio exterior do Brasil está em crise. Há problemas, é verdade, como a queda acentuada nas exportações do agronegócio, que vinha sendo responsável pela esmagadora maioria das vendas externas, seguido pelo setor de minérios, mas ainda há tempo para se iniciar recuperação.

Também é certo que entre os Brics, grupo do qual faz parte ao lado de Rússia, Índia e China, o Brasil é o que tem tido neste ano crescimento menos significativo. Sem contar que o comércio exterior brasileiro continua residual, ou seja, em 2011, as exportações nacionais representaram 1,44% das vendas mundiais, enquanto as importações ficaram em 1,29%, o que equivale a uma corrente de comércio de 1,33%.

Apesar disso, não se pode dizer que o comércio exterior do País não tenha crescido. Afinal, triplicou na primeira década do século 21, saindo de US$ 111 bilhões em 2000 para US$ 482 bilhões em 2011. Sem contar que a olho nu é possível constatar os efeitos desse crescimento no Porto de Santos, responsável por 32% da movimentação do comércio exterior brasileiro.

Ali estão em fase de conclusão os terminais da BTP e da Embraport que, dotados de portêineres e transtêineires post panamax, movimentarão juntos a partir de 2013 mais de 3,2 milhões de TEUs - unidade equivalente a um contêiner de 20 pés - e 3,4 milhões de metros cúbicos de granel líquido, além de granel sólido. Em Guarujá, até o fim de 2013, entrará em operação o Aeroporto Civil Metropolitano da Baixada Santista. E estão em licitação pelo governo do Estado obras que deverão eliminar o gargalo no trevo de Cubatão, que hoje tumultua a circulação de caminhões entre a Via Anchieta e os terminais de Guarujá.

Para que esse ímpeto de crescimento não se arrefeça, é urgente que o governo federal tome medidas para aumentar a presença de produtos de maior valor agregado nas vendas brasileiras, o que passa pela adoção de políticas de desoneração e incentivo. Só assim será possível restabelecer equilíbrio na pauta de exportações e preparar o País para possível redução nas vendas de produtos primários para a China. Antes de tudo, porém, será necessário reduzir a atual carga tributária, além de reverter taxa de juros que alcança níveis escorchantes.

Milton Lourenço é presidente da Fiorde Logística Internacional, de São Paulo-SP.

PALAVRA DO LEITOR

Quem comandará?

Analisando a eleição em São Paulo e Santo André, pergunto: por que tanto empenho em reuniões com Dilma e Lula para eleger o PT? Caso vença, quem verdadeiramente comandará as cidades? Os postulantes só mencionam a presidente como cabo eleitoral, ou será que São Paulo e Santo André provaram que podem dar conta de sua municipalidade? A exemplo do Rio de Janeiro, São Paulo não necessitou da tropa de elite federal para abafar qualquer tumulto durante a eleição. O que se esconde por trás disso? Será que é obsessão de Lula, que disse que queria acabar com os tucanos? Ora, a presidente tem que olhar igualmente para toda a Nação, cujos aposentados são jogados ao Deus dará. Caros eleitores, não anulem seu voto, pois não terão o direito de reclamar depois.

Lúcia Calvitti Rodrigues, Santo André

Resposta

Em relação à carta do leitor Rubens Guitzel (Nota Fiscal Paulista, dia 13), a Secretaria da Fazenda esclarece que o sistema da Nota Fiscal Paulista registra 790 mil estabelecimentos comerciais varejistas cadastrados em todo o Estado. Este número cresce de forma permanente e em nenhum momento houve exclusão de qualquer contribuinte, independentemente do porte ou ramo de atividade. Em relação à distribuição de créditos pelo sistema, a Fazenda informa que os créditos da NFP variam de acordo com o valor do imposto efetivamente recolhido pelo contribuinte no período da compra e com o número de consumidores que inseriram o CPF no documento fiscal. Há possibilidade de os créditos serem menores ou até mesmo zero.

Secretaria da Fazenda

Aidan x Brunão

Quem planta vento colhe tempestade. Foi o que aconteceu com Aidan Ravin. Ao desprezar o torcedor do EC Santo André, desprezou também muitos eleitores, que deixaram de votar nele no primeiro turno e voltarão a deixá-lo de lado no segundo. Que culpa têm os torcedores pelas brigas do prefeito com quem quer que seja? Quando se fala de uma cidade, lembra-se sempre do seu time de futebol. E Santo André já teve até campeão da Copa do Brasil e participou da Libertadores. Porém, agora, é motivo de piada, pois, graças ao prefeito, corre o risco de cair para a Quarta Divisão do Brasileiro. E sair dali é muito difícil. Obrigado, doutor Aidan! E feliz retorno ao seu consultório, de onde jamais deveria ter saído.

Sebastião Oliveira, Santo André

Constrangimento

Recebi cobrança de conta não paga da Foz do Brasil. No entanto, o Banco do Brasil, onde tenho conta, se recusa a receber. Não tenho tempo para ficar em filas e é absurdo que os problemas da Foz com o BB me prejudiquem. Já basta não conseguirmos colocar esse débito em cobrança automática. Estou pensando em buscar assistência jurídica, uma vez que a não disponibilização da cobrança bancária para mim se caracteriza como recusa de pagamento, o que pela legislação brasileira quita o débito. Além disso, sofro constrangimento em não conseguir pagar o débito e receber cobrança logo em seguida. Isso caracteriza constrangimento ilegal, é forma de assédio moral e poderia principiar denúncia por perdas e danos morais. Quero soluções.

Edson Bueno de Camargo, Mauá

Santinhos

Estou cada dia mais indignada e enojada com a forma como o PT age em Santo André. No dia da eleição, desceu um bando de gente de uma Kombi com camisetas vermelhas escritas ‘Luz', ‘Amor', ‘Carinho' etc, e faziam boca de urna. Eu estava na fila para votar e eles distribuíam santinhos. Os fiscais? Não falaram nada! Parece que estavam todos comprados, fingindo não ver. Policiais? Idem! Aonde está a seriedade com o cumprimentos às leis? Será que o candidato vai cumprir tudo o que está dizendo se não cumpre nem as leis? Só quero ter o direito de poder votar com tranquilidade no segundo turno. Não quero ser importunada da minha casa ao colégio e nem quero ver a cara desses foras da lei.

Thelma Ribeiro, Santo André

Centro Hospitalar

Li nesta coluna (Municipal, dia 18) que uma senhora de 72 anos teve AVC e foi levada para o CHM Santo André, e por falta de leitos na UTI foi mantida na emergência, ficando algum tempo ali, sendo transferida posteriormente para quarto normal. Precisaram da vaga que ela ocupava e deram-lhe alta sem o restabelecimento de sua saúde. Onde estão as vagas de UTI que o prefeito diz ter criado no CHM? Onde estão os médicos contratados? Onde está a Saúde que Aidan diz ter recuperado na cidade? Me alegra saber que dia 28 está muito próximo.

Manoel Almeida, Santo André



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;