Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 10 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Ibovespa acompanha NY após ata do Fed e sobe 0,43%



06/07/2022 | 17:47


Em dia de apreciação global do dólar, que o colocou desde cedo mais perto do limiar de R$ 5,50, a R$ 5,4624 na máxima da sessão, o Ibovespa manteve o sinal negativo, abaixo dos 98 mil pontos, até a aguardada divulgação, no meio da tarde, da ata da mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve. Aí, apesar da indecisão vista em primeiro momento, o jogo virou, com o Ibovespa se alinhando ao avanço, ainda que leve, em Nova York. Ao fim, o índice da B3 mostrava alta de 0,43%, aos 98.718,98 pontos, vindo de perdas moderadas, em torno de 0,3%, nas duas sessões anteriores.

A porta deixada aberta pelo Fed para novo aumento de até 0,75 ponto nos juros de referência dos EUA na próxima reunião do comitê monetário, o Fomc, a princípio chegou a melindrar os mercados, mas a ata acabou deixando impressão favorável, com a avaliação de que o consumo se manteve forte no segundo trimestre, movendo o PIB americano para cima no intervalo. Ainda assim, a referência da B3 permanece nessas últimas seis sessões abaixo dos 100 mil pontos, mesmo se forem consideradas as máximas intradiárias em cinco delas - no melhor momento de hoje, atingiu os 99.141,21 pontos, saindo de mínima a 97.423,43 e de abertura aos 98.293,68 pontos.

Desde o último 15 de junho, então aos 102,8 mil pontos, o índice só conseguiu fechar nos seis dígitos nos dias 27 (100,7 mil) e 28 (100,5 mil). A cautela tem se refletido também na redução do giro financeiro: nesta quarta-feira, foi de apenas R$ 22,1 bilhões. Na semana, o Ibovespa cede 0,24%, mas vira para o positivo no mês (+0,18%), ainda recuando 5,82% no ano. Hoje, o índice foi favorecido pelo desempenho de Vale (ON +0,94%) e de parte da siderurgia, com destaque para Gerdau PN (+2,07%) e Gerdau Metalúrgica (+1,94%), em dia ruim para Petrobras (ON -1,51%, PN -1,28%) e bancos (Itaú PN -0,92%, Santander -1,01%, BB ON -0,64%).

Na ponta positiva do Ibovespa, como ontem, o destaque ficou com as ações de varejo (Via +13,24%, Americanas ON +11,77%), setor ainda muito amassado no ano. No lado oposto do dia, Azul (-5,67%), 3R Petroleum (-5,60%) e Gol (-4,81%).

Após a publicação da ata da mais recente reunião de política monetária do Federal Reserve, a ferramenta de monitoramento do CME Group mostrava, hoje à tarde, 90,3% de chance de elevação de 75 pontos-base nos juros dos Estados Unidos, na decisão a ser anunciada em 27 de julho.

"Não muito diferente do que se imaginava: para a próxima reunião entre 50 e 75 pontos-base (de alta nos juros). E entre dois e três aumentos, com o mercado precificando três. A mensagem é: inflação muito alta, e a maior preocupação é controlar a inflação. A grande tônica para o Fed no momento é tentar matar essa inflação antes que uma recessão chegue", observa em nota Andrey Nousi, CFA da Nousi Finance.

"Foi mais do mesmo: o risco de a atividade desacelerar com o aumento de juros e, obviamente, se a inflação não desacelerar, o BC americano vai precisar subir mais as taxas. A guerra (no Leste Europeu) ainda pode mudar muito o aperto dos juros americanos, pela pressão nas commodities", aponta Jansen Costa, sócio da Fatorial Investimentos.

"Mais provável que os juros de referência americanos fechem o ano praticamente a 3%. Pela leitura da ata, eles preferem acelerar, mesmo que depois tenham que cortar (em 2023), do que subir devagarzinho", diz Paulo Gala, economista-chefe do Banco Master, observando que o yield dos títulos de 2 anos dos Estados Unidos bateu perto de 3% com a ata (máxima do dia a 2,963%), com o "mercado já precificando bastante alta agora, no curto prazo" e "eventualmente cortes em 2023". "Comentários hoje mais para o 'hawkish" na ata, com o medo de que a inflação fique incrustada, indexando-se", acrescenta o economista.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;