Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Com menor oferta de gás, Alemanha orienta cidadãos a se preparar para inverno



02/07/2022 | 13:45


Após a Rússia ter reduzido fluxos de gás para Alemanha, Itália, Áustria, República Checa e Eslováquia no início deste mês e temendo um corte no fornecimento de gás russo, o presidente da Agência Federal de Redes da Alemanha, Klaus Mueller, pediu neste sábado a residentes do país que economizem energia e se preparem para o inverno.

Mueller orientou proprietários que verifiquem e ajustem caldeiras a gás e radiadores antes da chegada do frio, a fim de maximizar a eficiência dos equipamentos. "A manutenção pode reduzir o consumo de gás em 10% a 15%", disse ele ao grupo de mídia Funke Mediengruppe, que possui um jornal e revistas.

O presidente da agência também pediu que moradores e proprietários usem as próximas 12 semanas antes do frio chegar para se preparar, sugerindo que as famílias discutam se há necessidade de a temperatura de todos os quartos ser ajustada de forma usual ou se "ou se alguns quartos podem ficar um pouco mais frios".

A estatal russa de energia Gazprom atribuiu a um problema técnico a redução do gás natural que flui através do Nord Stream 1, gasoduto sob o Mar Báltico entre a Rússia e a Alemanha. A empresa disse que um equipamento que estava sendo reformado no Canadá ficou preso lá por causa das sanções ocidentais relacionadas à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Os líderes alemães rejeitaram a explicação e chamaram as reduções de movimento político em reação às sanções da União Europeia contra a Rússia.

O vice-chanceler, Robert Habeck, alertou que um "bloqueio" do gasoduto pode ser possível a partir de 11 de julho, quando os trabalhos regulares de manutenção devem começar. Em verões anteriores, o trabalho envolveu o fechamento do Nord Stream 1 por cerca de dez dias, disse ele. A dúvida é se a próxima manutenção regular do gasoduto se transformará em "uma manutenção política mais duradoura", disse Mueller. Ele disse que a agência "não vê um cenário em que não haja mais gás vindo para a Alemanha".

Também neste sábado, a empresa alemã de produtos químicos e consumo Henkel sinalizou que considera incentivar funcionários a trabalharem em casa no inverno, em resposta a uma possível escassez de oferta. "Poderíamos reduzir bastante a temperatura nos escritórios, enquanto nossos funcionários aqueceriam suas casas na medida normal", disse o CEO da Henkel, Carsten Knobel, ao jornal Rheinische Post. Associates Press.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;