Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Pré-candidatos do Novo são alvo de protesto na Unicamp e palestra é cancelada



30/06/2022 | 15:00


O vereador e pré-candidato a deputado federal Fernando Holiday e os pré-candidatos a deputado estadual Leonardo Siqueira e Lucas Pavanato, do partido Novo, foram alvo de protesto na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) nesta quarta-feira, 29.

Eles fariam uma palestra sobre cotas raciais e financiamento nas universidades públicas, mas um grupo de manifestantes ocupou o espaço. O evento era organizado pela União Juventude e Liberdade (UJL), que se define como "movimento estudantil liberal". Em coro, estudantes gritavam "recua, fascista, recua, a Unicamp nunca vai ser sua". O Diretório Central dos Estudantes da universidade afirmou, em nota, que o discurso de Holiday é "reacionário" e que o vereador defende uma "universidade para poucos".

"No ano em que a lei de cotas será revisada e de vários ataques é preciso que façamos da universidade um território de organização para a derrota da extrema-direita", afirma a nota. Fernando Holiday (Novo), que é negro, é contrário às políticas afirmativas raciais no ensino superior porque, segundo ele, "menosprezam os afrodescendentes".

Ao comentar o episódio nesta quinta-feira, 30, no Twitter, o vereador disse que manifestantes estariam "dando tapas e tentando roubar seu celular". Nas imagens, é possível ver um pequeno grupo com bandeiras vermelhas e uma tentativa de encobrir o vídeo que era gravado pelo parlamentar. A UJL afirmou que houve tentativa de agressão física e que foi necessário "fazer uma barreira" para defender os convidados do evento.

O pré-candidato do Novo à Presidência, Luiz Felipe d'Avila, também se manifestou na rede social e associou os manifestantes ao ditador italiano Benito Mussolini. Muitas das respostas questionaram os termos usados pelos integrantes do Novo para se referir a manifestações de esquerda.

Procurada pela reportagem, a Unicamp afirmou, em nota, que é "historicamente um espaço dedicado ao debate de ideias, onde divergências sempre estiveram subordinadas ao respeito às diferenças, inclusive no campo ideológico". "Nesse contexto, a Universidade condena quaisquer atos que, em detrimento do debate democrático, resultem em manifestações de violência."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;