Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Bolsas da Europa fecham em baixa e encerram pior trimestre desde 2020



30/06/2022 | 13:36


Os mercados acionários da Europa registraram quedas nesta quinta-feira, 30, em meio aos temores de recessão global, em quadro de aperto monetário por vários bancos centrais globais, inclusive no continente. Nesse contexto, em meio a indicadores mistos no dia, o quadro negativo prevaleceu, com ações do setor de energia sob pressão diante da queda do petróleo.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em baixa de 1,50%, em 407,20 pontos. Ao longo do segundo trimestre, ele caiu 10,67%, seu pior trimestre desde 2020. Até agora em 2022, o Stoxx 600 recua 16,52%.

O BC da Suécia elevou nesta quinta sua taxa básica de juros em 50 pontos-base, a 0,75%, seguindo decisões recentes semelhantes de Noruega e Suíça.

Segundo a Capital Economics, o Riksbank sinalizou nesta quinta que realizará um aperto monetário mais rápido, ao longo dos próximos seis a nove meses, e acelerará os esforços para reduzir seu balanço. Para o ING, por sua vez, é provável que o BC sueco realize uma alta de juros da mesma magnitude desta quinta em sua próxima reunião, em setembro.

Na agenda de indicadores do dia, a taxa de desemprego da zona do euro recuou de 6,7% em abril a 6,6% em maio, ante previsão de 6,8% dos analistas. No Reino Unido, revisão final mostrou que o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,8% no primeiro trimestre ante o anterior. Já na Alemanha, as vendas no varejo cresceram 0,6% em maio ante abril.

O Credit Suisse diz esperar que os EUA e a Europa evitem recessão nos próximos seis a nove meses, mas avalia que o crescimento baixo torna a economia global mais vulnerável a novos choques. Para o banco, outro grande aumento nos preços de energia é um risco importante. O Credit vê ainda a Europa como em maior risco e diz que um corte de mais 30% nas entregas de gás na Alemanha, com consequente racionamento, levaria a zona do euro à recessão. O banco diz também que o Banco Central Europeu (BCE) deve prover novas medidas de política para gerir estresses no mercado de dívida.

Na Bolsa de Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 1,96%, em 7.169,28 pontos. A ação da petroleira BP recuou 2,36%, enquanto entre os bancos Barclays cedeu 2,32% e Lloyds, 1,63%.

Em Frankfurt, o índice DAX caiu 1,69%, a 12.783,77 pontos. Entre os papéis mais negociados, Deutsche Bank registrou baixa de 2,95%, TUI de 3,68% e E.ON, de 4,30%.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC 40 recuou 1,80%, a 5.922,86 pontos. No setor de energia, TotalEnergies caiu 1,16%.

O índice FTSE MIB, da Bolsa de Milão, registrou queda de 2,47%, a 21.293,86 pontos. Intesa Sanpaolo foi o papel mais negociado, em baixa de 5,12%, enquanto Eni recuou 2,36%.

Em Madri, o índice Ibex 35 caiu 1,09%, a 8.098,70 pontos, com a ação do Santander em baixa de 1,75%.

Na Bolsa de Lisboa, o índice PSI 20 recuou 1,42%, a 6.044,64 pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;