Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Dólar sobe em linha com exterior em manhã de aversão a risco e de disputa da Ptax



30/06/2022 | 09:48


O dólar opera em alta firme nesta quinta-feira, 30, acompanhando a valorização no exterior em manhã de aversão a risco e de disputa técnica no mercado de câmbio em torno da taxa Ptax referencial do fim de junho e do primeiro semestre, que será definida depois das 13h. A Ptax de hoje servirá nesta sexta-feira, 1º de julho, para ajustes de contratos cambiais, carteiras de ativos e balanços corporativos de fim de trimestre e semestre. No mês, a moeda americana acumula ganhos de 10%, mas em 2022 carrega perdas de 6%.

Os investidores ajustam posições em meio a avaliações do Relatório Trimestral de Inflação (RTI) e queda dos retornos dos Treasuries com busca de proteção por temores de recessão nos EUA com o aperto monetário mais agressivo do Federal Reserve para combater a escalada da inflação americana. Ontem o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, disse que o processo de alta de juros provavelmente envolverá "alguma dor" do ponto de vista econômico.

No Brasil, o recuo maior que o esperado da taxa de desemprego no trimestre móvel até maio no País fica em segundo plano. A taxa de desocupação no Brasil ficou em 9,8% no trimestre encerrado em maio, de acordo com os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou menor do que a mediana de 10,2% das estimativas na pesquisa Projeções Broadcast e do que o piso (9,9%). O teto era de 10,6%.Em igual período de 2021, a taxa de desemprego medida pela Pnad Contínua estava em 14,7%. No trimestre encerrado em abril de 2022, a taxa de desocupação estava em 10,5%.

Mas a renda média real do trabalhador foi de R$ 2.613 no trimestre encerrado em maio, mostrando queda de 7,2% em relação ao mesmo período do ano anterior. A massa de renda real habitual paga aos ocupados somou R$ 249,849 bilhões no trimestre até maio, alta de 3,0% ante igual período do ano anterior.

No RTI, o Banco Central afirma que a taxa de juros real atinge 5,4% no fim 2023 e 4,4% no fim de 2024, acima da neutra de 4%. Na quinta-feira passada (23), o diretor de Política Econômica da autarquia, Diogo Guillen, informou que a estimativa passou de 3,5% para 4,0%, a segunda revisão em um período de seis meses. O documento também ressalta a elevada incerteza na evolução do preço do petróleo e reconhece que a "alta de juros em desenvolvidos e desaceleração da China podem levar a PIB global menor".

O risco fiscal interno segue no radar também. O governo federal prorrogou a vigência do "Luz Para Todos" até 31 de dezembro de 2026 e do "Mais Luz para a Amazônia" até 31 de dezembro de 2030 por meio de decreto presidencial publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira. Antes, os dois programas de universalização do acesso e uso de energia elétrica se encerrariam neste ano de 2022.

Os investidores estão na expectativa se o Senado realizará a votação em dois turnos da PEC dos Combustíveis hoje. Para isso, os parlamentares terão de aprovar a chamada "quebra de interstício". O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), sugeriu nesta quarta-feira, 29, que a Câmara poderia acelerar a tramitação da PEC ao juntar o texto da matéria a outra PEC cuja análise já esteja avançada nas comissões, mas que a decisão depende do presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

Essa votação corre risco de ser adiada mais uma vez após o Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (MP-TCU) entrar com uma representação pedindo a suspensão do programa que o governo federal pretende criar para oferecer uma bolsa-caminhoneiro, com o repasse mensal de R$ 1 mil até dezembro.

O subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado, autor do pedido, defende que o governo Bolsonaro seja impedido de criar o programa até que o TCU se defina sobre o assunto. A requisição se baseia em reportagem publicada pelo Estadão/Broadcast mostrando que o governo não possui, neste momento, nenhuma base de dados consolidada para definir que caminhoneiro, afinal, poderia receber as mensalidades.

Às 9h36 desta quinta, o dólar à vista subia 0,71%, a R$ 5,230. O dólar para agosto, mais negociado a partir de hoje, ganhava 0,86%, a R$ 5,2735.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;