Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Fed: Mester vê 'complacência' em relação ao avanço das expectativas de inflação



29/06/2022 | 08:18


A presidente da distrital do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) em Cleveland, Loretta J. Mester, afirmou nesta quarta-feira que as expectativas de inflação nos Estados Unidos estão menores que as leituras inflacionárias atuais, mas advertiu contra a "complacência" com essa tendência.

"O fato de os preços salientes da gasolina e dos alimentos permanecerem elevados sugere que há algum risco de que as expectativas de inflação de longo prazo das famílias e empresas continuem a subir", alertou ela em discurso durante o Fórum do Banco Central Europeu (BCE), em Sintra, Portugal.

A dirigente explicou que a comunicação dos bancos centrais pode exercer papel fundamental na ancoragem das expectativas. Segundo ela, um eventual avanço sustentado dessas métricas anularia qualquer impacto de mudanças benéficas no hiato de produto e a política monetária precisaria ter que agir mais energicamente para atingir a estabilidade de preços.

Mester argumentou ainda que o "desafiador" período atual questiona a visão de que BCs devem ignorar choques de oferta. "Em algumas circunstâncias, esses choques poderiam ameaçar a estabilidade das expectativas de inflação e exigiriam ação política", ressaltou. "Os bancos centrais precisarão ser resolutos e intencionais ao tomar medidas para reduzir a inflação", defendeu.

Loretta Mester também disse que defenderá um novo aumento de juros de 75 pontos-base na reunião de política monetária de julho se as condições econômicas permaneceram as mesmas.

Em entrevista à emissora CNBC, Mester afirmou que o debate do Fed no próximo mês será sobre optar entre uma alta de 50 pontos-base ou um ajuste de 75 pontos-base.

A presidente da distrital do Fed em Cleveland, que vota nas reuniões da instituição este ano, disse que aumentos de juros são "muito necessários" para reduzir a inflação dos EUA, que está nos maiores níveis em cerca de quatro décadas.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;