Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Moedas: dólar sobe ante rivais e emergentes, com dado dos EUA e questões locais



28/06/2022 | 18:55


O dólar se fortaleceu nesta sessão, com dado fraco de sentimento do consumidor renovando preocupações com o crescimento da economia americana. Divisas de emergentes também estiveram em destaque, com alegações de default russo, intervenção governamental no Chile e recorde de risco-país da Argentina.

No fim da tarde em Nova York, o dólar subia a 136,17 ienes, enquanto o euro caía a US$ 1,0529 e a libra, a US$ 1,2188. O índice DXY fechou com alta de 0,55% a 104,506 pontos.

Na leitura do Conference Board, em junho, o índice de confiança do consumidor caiu a 98,7 nos Estados Unidos, mais do que o esperado por analistas consultados pelo Wall Street Journal. A Oxford Economics avalia que o pessimismo entre consumidores aponta em direção a um risco crescente de recessão mais adiante neste ano, à medida que a inflação continua a subir, as taxas de juros escalam e as tensões geopolíticas na Europa seguem elevadas. Uma deterioração contínua na confiança das famílias pode desencadear gastos menores que os esperados e travar a expansão.

O Wells Fargo diz não se preocupar quanto ao verão, mas sim com o fato de uma contração nos gastos de consumidores ser inevitável no outono - que tem início em setembro no Hemisfério Norte. Com a possibilidade de que a economia americana caia em recessão, o banco diz acreditar que o dólar irá atingir o pico em meados de 2023 e começar a se enfraquecer na metade do próximo ano.

Quanto às emergentes, o peso argentino se enfraqueceu ante a divisa americana. O mercado local estava agitado, com noticiário argentino mencionando que os temores sobre a dívida na moeda local se disseminavam também para os bônus em dólar. O risco-país medido pelo JPMorgan atingiu nível recorde. No horário citado, o dólar subia a 124,9037 pesos argentinos.

Depois de perdas recentes, o peso chileno se fortaleceu frente ao dólar. O jornal Emol do Chile informou que o Ministério da Fazenda do Chile anunciou que venderá US$ 5 bilhões nos próximos dois meses, com máximo de US$ 200 milhões ao dia nessas operações. O dólar caía a 911,78 pesos chilenos.

Já a moeda russa se enfraqueceu, depois de a Moody's declarar que a Rússia entrou em default e afirmar que devem episódios semelhantes devem acontecer. O Kremlin nega. No horário citado, o dólar subia a 53,660 rublos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;