Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Tarcísio é alvo de novo inquérito sobre domicílio eleitoral em São Paulo



28/06/2022 | 16:30


O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) solicitou a abertura de inquérito para apurar eventuais irregularidades no registro de domicílio eleitoral do ex-ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas (Republicanos), que pretende disputar o governo de São Paulo no palanque do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Recentemente, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) deu parecer favorável ao ex-ministro em uma ação que questionava seu domicílio eleitoral. O processo havia sido ajuizado pelo presidente do PSOL, Juliano Medeiros, que, em outra frente, conseguiu anular a pré-candidatura do ex-juiz Sérgio Moro (União Brasil) ao Senado pelo Estado.

Desta vez, a representação contra Tarcísio partiu de Renato Battista (União Brasil), membro do Movimento Brasil Livre (MBL) e pré-candidato a deputado estadual em São Paulo.

No documento, Battista pede que o Ministério Público ingresse "com todo o tipo de ação cabível perante a Justiça Eleitoral, a fim de impedir a candidatura de Tarcísio de Freitas".

A representação também tem como alvo a ex-senadora Marina Silva (Rede). "Como se sabe, a ex-senadora sempre desenvolveu suas atividades políticas representando o Acre. Agora, subitamente, sem qualquer explicação, a ex-senadora está se dizendo residente no Estado de São Paulo e pretende concorrer a um cargo público pelo Estado", diz o documento.

Contudo, no parecer encaminhado a Battista, o Ministério Público informou que abriu inquérito contra Tarcísio, mas não respondeu sobre Marina.

Para poder concorrer ao Palácio dos Bandeirantes, o ex-ministro transferiu seu título e declarou endereço em São José dos Campos, onde afirma ter familiares residindo há mais de 20 anos. A Justiça Eleitoral exige a comprovação de "vínculos políticos, econômicos, sociais ou familiares" pelo menos três meses antes da mudança.

Questionada, a assessoria de Tarcísio afirmou que o ex-ministro recebeu a iniciativa "como mais um sinal de incômodo com o fortalecimento e contínuo crescimento de sua pré-candidatura". "É, ao mesmo tempo, um ato de desrespeito com o Ministério Público e Poder Judiciário, uma vez que estes já foram provocados com questionamentos similares e reconheceram a regularidade da situação do Tarcísio", diz a nota.

Em entrevista ao programa Roda Viva nesta segunda-feira, 27, Tarcísio disse não temer qualquer impedimento à sua candidatura em função das ações jurídicas questionando a validade da transferência de domicílio. "A gente fez tudo com muito planejamento e estritamente dentro da lei. Foi analisado duas vezes (pela Justiça Eleitoral)", afirmou. "Há relação de afinidade, trabalho, afetiva, não é simplesmente o domicílio físico", completou, destacando que seu caso é diferente do de Sérgio Moro, que teve a transferência para São Paulo impugnada. "Eu comecei minha trajetória profissional nas Forças Armadas em Campinas. É um pouco 'forçação' de barra dizer que não tenho vínculo com o Estado. Eu tenho família em São José dos Campos."



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;