Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 17 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Seleção brasileira ganha batalha da China na Liga das Nações com brilho de Gabi



28/06/2022 | 13:22


De olho na fase final da Liga das Nações, que acontece de 13 a 17 de julho em Ancara, na Turquia, a seleção brasileira feminina de vôlei abriu a terceira fase com vitória suada por 3 a 2 sobre a China, em Sofia, na Bulgária, parciais de 25/20, 25/23, 18/25, 21/25 e 15/11. Destaque para Gabi, maior pontuadora da partida com 27 bolas vencedoras

Com mais uma vitória - sétima em nove partidas -, a seleção se consolida na terceira colocação no geral, atrás apenas do líder Japão e dos Estados Unidos. As oito melhores seleções avançam para a fase decisiva.

Com boas jogadas pelo meio de rede e precisão nos ataques, a seleção fechou o primeiro set com 25 a 20. Destaque para Gabi, que fechou a parcial com 10 pontos, inclusive o decisivo. Tudo deu certo às brasileiras em set preciso.

O Brasil começou bem o segundo set e abriu 5 a 3, mas alguns erros permitiram a virada para 9 a 7 quando as chinesas, enfim, pararam um ataque de Gabi. Nada que abalasse as comandadas de José Roberto Guimarães. Ele apenas pediu calma e o time virou para 16 a 12 com nova bola no chão de Gabi.

As chinesas reagiram e tiveram chance de empatar em 22, mas pararam no bloqueio de Kisy, outro destaque da seleção, que fechou a partida com 24 pontos. O Brasil não aproveitou a vantagem de dois pontos e permitiu o 23 a 23. José Roberto pediu tempo para ajustar o ataque. Em bela disputa por ponto, Gabi garantiu o sete point. A camisa 10 brasileira fechou a parcial com seu 20° ponto.

O terceiro set começou com chinesas ligadas e o Brasil cometendo erros bobos. Em toque na rede de Carol, 8 a 5 para a seleção asiática. A China tinha 10 a 7 quando viu a muralha brasileira do bloqueio garantir virada para 12 a 10.

Um pedido de tempo do técnico chinês surtiu efeito e nova reviravolta no placar, agora com 19 a 16. O Brasil se perdeu na reta final da parcial e José Roberto parou o jogo para tentar resgatar a confiança da equipe, mas de nada adiantou: 25 a 18 para a China.

Mantendo sua equipe em quadra em prova de confiança, José Roberto viu os erros continuarem e a China abriu 12 a 9 em saque na rede de Carol. "Estamos errando em cadeia. Vamos começar a jogar um pouquinho", cobrou o treinador em pedido de tempo. Não obteve êxito e optou por trocar de levantadora, com Roberta na vaga de Macris. A seleção melhorou e encostou em 19 a 18. Mas a China virava todas as bolas, com Li acertando a mão, e igualou o jogo em 2 a 2 com 25 a 21 em parcial sem nenhum bloqueio das brasileiras.

O tie-break começou com titulares em quadra e vantagem de 4 a 2 após ace de Roberta. Em set mais curto, erros não podiam acontecer e as rivais empataram também em ace. Os saques faziam a diferença e o Brasil abriu 8 a 5. A vantagem de três pontos se manteve com bloqueio e 12 a 9. Com ace, Gabi deixou a seleção a um ponto da vitória: 14 a 10. As chinesas viraram, mas o triunfo veio em bloqueio duplo e 15/11.

A seleção brasileira volta à quadra somente na quinta-feira, diante da Coreia do Sul, definida por José Roberto Guimarães como "perigosa". Sexta-feira a seleção encara as donas da casa e no sábado fecham a fase contra a Tailândia.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;