Fechar
Publicidade

Domingo, 14 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Vasco vence na Justiça e confirma realização de jogo contra o Sport no Maracanã



27/06/2022 | 22:22


O Vasco obteve uma decisão favorável na Justiça e confirmou, na noite desta segunda-feira, que o jogo contra o Sport, no domingo, será disputado no Maracanã. A diretoria vascaína precisou ir aos tribunais para conseguir a permissão de jogar no estádio porque o Consórcio Maracanã, do qual o Flamengo é permissionário e o Fluminense interveniente anuente, não queria liberar o local para uso.

"O Vasco da Gama informa que, por decisão judicial, o jogo contra o Sport Club de Recife no próximo domingo, 03 de Julho, 16h, foi confirmado para o estádio do Maracanã, como pleiteava o clube e ansiava sua torcida", informou o time, adicionando que já solicitou a formalização da alteração do local da partida pela CBF e está tomando as providências necessárias para a venda antecipada de ingressos.

A decisão judicial foi tomada pelo juiz Alessandro Oliveira Felix, da 51ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio. Ele argumentou que o Maracanã é um bem público do Rio de Janeiro e afirmou que o Flamengo, opositor da utilização do estádio pelo Vasco e réu no processo, é "mero permissionário, não proprietário". Além disso, estabeleceu uma multa de R$ 2 milhões ao Flamengo caso a determinação seja descumprida.

Nem todas as resoluções foram favoráveis aos vascaínos. A diretoria também desejava reduzir o valor do aluguel e pediu o mesmo preço feito ao Fluminense para usar o local, mas Felix manteve o valor de R$ 250 mil, assim como na ocasião em que o Vasco jogou no Maracanã contra o Cruzeiro, no dia 12 de junho.

A partida diante dos cruzeirenses recebeu mais de 60 mil torcedores, por isso o Vasco se animou com a ideia de utilizar o Maracanã mais vezes e fez a solicitação para mandar lá o duelo com o Sport. Apesar do sucesso de público, o Vasco fez várias queixas ao consórcio, como a falta de participação na receita dos bares e a quantidade de ingressos disponíveis, além da questão do valor do aluguel.

O pedido para jogar contra o Sport no estádio foi feito no dia 15 de junho, e a negativa veio seis dias depois, dia 21. Foi aí que a diretoria vascaína acionou a Casa Civil do governo estadual, antes de procurar a Justiça, na sexta. O Consórcio utilizou várias justificativas para tentar impedir a realização da partida, como o fato de o Fluminense enfrentar o Corinthians um dia antes da partida entre Vasco e Sport. Segundo o grupo, o gramado não teria condições de jogo na tarde seguinte.

Outra argumento do consórcio foi de que o limite de no máximo dez jogos por mês previsto para o Maracanã seria ultrapassado, já que Flamengo e Fluminense podem ter o número de partidas ampliado caso avancem na Copa do Brasil. Já o Vasco apontou que o máximo não passaria de nove. Além disso, defendeu que o veto iria contra a isonomia prevista no contrato de concessão, como citado na decisão desta segunda.

"O local pretendido é bem público do Estado do Rio de Janeiro e, em 2019, foi outorgada permissão de seu uso ao Flamengo e ao Fluminense. Evidente que o Termo de Permissão vincula obrigatoriamente as partes. Em seu item 03, o referido Termo determina que 'observada a disponibilidade de datas, será permitido aos demais clubes do Estado do Rio de Janeiro realizar partidas oficiais no Maracanã'", diz o trecho.

Dono de 30 pontos na Série B e brigando pelas primeiras posições, o Vasco teve uma segunda agitada nos bastidores. Em meio a todo o imbróglio com os flamenguistas, a diretoria concluiu a assinatura de contratos do acordo com a 777 Partners pela compra de 70% da futura Sociedade Anônima do Futebol (SAF) do clube por R$ 700 milhões e a assunção de suas dívidas em até R$ 700 milhões. Agora, a oferta segue para a Comissão de Estudos do Conselho Deliberativo para avaliação.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;