Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 11 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Prisão de ex-ministro foi 'juridicamente errada', diz líder da bancada evangélica



27/06/2022 | 12:03


O deputado Sóstenes Cavalcante (PL-RJ), líder da bancada evangélica, avalia que a prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi "juridicamente errada". "Não quero acreditar que tenha sido prisão política. Mas até agora, prova nenhuma foi colocada", declarou o parlamentar, correligionário e apoiador do presidente Jair Bolsonaro, em entrevista ao Papo com Editor, do Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. A declaração foi dada antes da divulgação de áudios em que Ribeiro relatou ter recebido ligação de Bolsonaro com alertas sobre possível busca e apreensão em seus endereços.

Em contrapartida, Sóstenes entende que houve "no mínimo imprudência" por parte de Ribeiro e dos pastores envolvidos no chamado gabinete paralelo do MEC, escândalo revelado pelo Estadão. "Não vou jogar os indícios para debaixo do tapete", disse o deputado na entrevista. O ex-ministro já está em liberdade após um pedido de habeas corpus. Ele é investigado por possível tráfico de influência e corrupção passiva à frente da pasta.

O líder da bancada evangélica reconhece que o episódio da prisão cria desgaste para Bolsonaro em ano eleitoral, mas destaca que o foco da disputa pelo Palácio do Planalto ainda é a economia. Para o deputado, o ministro da Economia, Paulo Guedes, precisa "sair um pouco da cartilha liberal" para enfrentar a crise econômica atravessada pelo País. "Não dá para ser liberal 100% neste momento, mas também não defendo irresponsabilidade fiscal. Precisamos buscar um ponto de equilíbrio", declarou na entrevista.

Apoiador do presidente Jair Bolsonaro, Sóstenes Cavalcante assinou o requerimento para instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, mas avalia que o colegiado não resolverá o problema do preço dos combustíveis. "Entendo que, dialogando com o novo presidente da Petrobras e o Conselho administrativo, podemos buscar um meio termo para esses aumentos que ninguém mais suporta no Brasil", afirmou.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;