Fechar
Publicidade

Sábado, 2 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Paulo Pinheiro estuda sair a estadual e mira Prefeitura

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-prefeito de S.Caetano diz estar disposto a voltar às urnas; político critica gestão Auricchio


Da redação

22/06/2022 | 08:25


Ex-prefeito de São Caetano entre 2013 e 2016, Paulo Pinheiro (União Brasil) está de volta ao cenário político. E bem disposto a enfrentar novamente as urnas. Em visita ao Diário na manhã de ontem, Pinheiro contou que tem estudado a possibilidade de lançar seu nome como pré-candidato a deputado estadual na eleição de outubro. A definição irá acontecer nas próximas semanas. "Quem é político nunca sai da política. Essa vontade não falta em mim. Vou conversar com a família, amigos, a direção do partido e decidir essa questão em poucos dias", disse o ex-prefeito, que completa 79 anos no próximo dia 29.

Para ele, o fato de a cidade já contar com um parlamentar estadual (Thiago Auricchio, do PL) não representaria um problema na busca pelo eleitorado de São Caetano. "Nesse sentido, estou acostumado. Quando fui candidato a estadual em 2006, Marquinho Tortorello era parlamentar e tinha o apoio do governo. E eu tive mais votos que ele em São Caetano", lembrou. Naquela eleição, há 16 anos, Pinheiro teve 17.103 votos na cidade, do total de cerca de 20 mil votos.

Caso confirme a disputa pela cadeira na Assembleia Legislativa, Pinheiro fará dobrada com Nilson Bonome (União Brasil), seu ex-secretário municipal e que irá sair a deputado federal. "Uma pessoa que quer o bem de São Caetano e da região e que me ajudou muito na Prefeitura. Quando algum secretário saía de férias, pedia para ele assumir. Isso é confiança e respeito. Do Bonome só espero coisa boa", disse.

Outro desejo que Paulo Pinheiro explicitou, além da possibilidade de estar nas urnas neste ano, foi o de voltar a disputar eleição a prefeito. Em recente Live do Diário, o presidente da Câmara de São Paulo, Milton Leite, uma das principais lideranças do União Brasil no Estado, afirmou que gostaria que Pinheiro fosse o candidato do partido à sucessão de José Auricchio Júnior (PSDB) em 2024. "Isso me incentiva e me deixa animado. Mas é assunto para depois dessa eleição", afirmou. "Nunca vai faltar disposição de servir ao município para quem tem bons propósitos. Isso é um estímulo, mas essa discussão fica para depois."

O ex-prefeito também falou que dará todo apoio a Milton Leite, que é pré-candidato a senador. "Ele pode contar comigo. Milton tem credibilidade e é um grande nome."

Sobre a administração de Auricchio, Paulo Pinheiro fez críticas. Disse que a cidade está "maquiada". "O ex-prefeito Luiz Tortorello dizia que a cidade deve ser governada como se governa a própria casa. E não dá para fazer uma reforma se não tiver dinheiro", comparou Paulo Pinheiro. "Essa administração está contraindo muitos empréstimos, mas que vai ficar para o próximo gestor pagar, Isso não é correto." O ex-prefeito afirmou que recebeu a Prefeitura com dívidas de R$ 264 milhões, herdadas de Auricchio. "E eu paguei R$ 190 milhões. Quando cheguei, tinha oficial de Justiça cobrando pagamentos atrasados."

Paulo Pinheiro também disse que percebe, pelos serviços municipais, os problemas da gestão. "É importante olhar para a questão social. E a saúde tem grau enorme de insatisfação. É preocupante."
 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;