Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Abril tem a menor proporção de reajustes de salários com ganhos reais, diz Dieese



27/05/2022 | 12:47


Abril foi o mês que teve a menor proporção de reajuste de salários com ganhos reais neste ano, segundo levantamento do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Apenas 8% dos reajustes foram acima do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa foi a segunda menor proporção nas últimas 15 datas-bases, acima apenas de novembro de 2021.

Os reajustes iguais ao índice representam 46% do total de reajustes. De acordo com o Dieese, os dados preliminares praticamente repetem os da data-base de março, quando 53,7% das negociações conseguiram reajustes iguais ou superiores ao INPC. Porém, o porcentual de reajustes abaixo da inflação, 46% do total, ainda permanece em alto patamar.

No acumulado do ano, houve ligeira piora em relação ao boletim anterior. Os reajustes salariais abaixo do INPC-IBGE representam 40,8% do total no ano. Aqueles em porcentuais iguais à inflação são 31,6%, e os resultados acima do índice inflacionário representam 27,6%.

Variação real média

Em abril, a variação real média dos reajustes foi de -0,76%. Em todas as últimas 15 datas-bases, o Dieese afirma que a variação real dos reajustes foi negativa, especialmente em julho de 2021 (-1,94%).

"As médias negativas refletem o peso dos resultados abaixo do INPC-IBGE, que superam em grandeza os ganhos dos reajustes acima do índice inflacionário", explica o Dieese.

Os reajustes abaixo do INPC-IBGE de abril foram, em média, equivalentes a apenas 83% do valor necessário para a recomposição plena dos salários.

Reajuste necessário

Devido ao aumento de 1,04% dos preços em abril, o valor do reajuste necessário para maio será de 12,47%, segundo o INPC-IBGE. Esse é o maior valor do período considerado no boletim do Dieese, entre fevereiro de 2021 a maio de 2022.

Pisos salariais

O valor médio dos pisos de 2022 é de R$ 1.414,77. O maior valor médio pertence ao comércio (R$ 1.481,54), e o menor, à indústria (R$ 1.380,19).

No recorte geográfico, o maior piso salarial médio é do Sul, de R$ 1.536,67. O menor é do Nordeste, de R$ 1.330,10.

No Sudeste, o piso salarial médio foi de R$ 1.420; no Norte de R$ 1.368,09; e no Centro-Oeste de R$ 1.362,89.

Por região

Nos primeiros quatro meses de 2022, a região Sul foi a que apresentou o maior porcentual de reajustes iguais e acima da inflação, cerca de 77% dos casos analisados. O Sudeste teve o maior porcentual de ganhos acima da inflação (38,7%).

Os piores resultados foram registrados no Centro-Oeste, onde 63,7% dos reajustes ficaram abaixo do INPC-IBGE, 21% acompanharam a variação do índice inflacionário e apenas 15,3% ficaram acima dele.

Por setor econômico

De janeiro a abril, reajustes iguais e acima da inflação foram mais frequentes no comércio, presentes em cerca 67% das negociações analisadas pelo Dieese. Na indústria, houve pelo menos reposição da inflação anual em 64% dos casos.

Porém, os aumentos reais foram mais regulares na indústria (29,4%) do que no comércio (17,1%).

O setor de serviços se destaca tanto pela maior proporção de reajustes abaixo (45,1%) quanto acima (29,8%) do INPC.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;