Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Estudante de 16 anos da Etec de Rio Grande denuncia professor por importunação sexual

Banco de Dados Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Família registrou boletim de ocorrência e pede afastamento do docente


Joyce Cunha
Do Diário do Grande ABC

27/05/2022 | 00:01


Uma estudante de 16 anos denunciou professor da Etec (Escola Técnica Estadual) Rio Grande da Serra por assédio. O caso aconteceu em março, dentro da unidade de ensino, na presença de outros alunos. Quase três meses depois do ocorrido, a família da jovem ainda aguarda retorno sobre a investigação pela polícia e pede providências por parte da Etec, como o afastamento do professor da escola.

“A gente quer que a justiça seja feita. A escola fala que fez todo o procedimento, só que o professor está dando aula. Parece que não aconteceu nada. A gente não tem retorno do que está acontecendo. Estou achando que estão esperando cair no esquecimento”, afirmou Rafael de Oliveira, pai da estudante que procurou o Diário em busca de apoio para obter respostas sobre o caso. 

De acordo com os relatos da jovem, o assédio aconteceu no dia 16 de março, quando o professor tocou na adolescente e disse palavras inadequadas. Na mesma data, a aluna, acompanhada de colegas, procurou a direção da escola e denunciou o ocorrido. A estudante também recorreu à família, que registrou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia de Ribeirão Pires.

“A gente vê tantos casos acontecendo de violência contra mulheres, contra crianças. Quando o filho da gente estuda, a gente confia na escola. Jamais vai esperar que aconteça isso. Só quero justiça, que ele não dê mais aula para crianças e adolescentes”, concluiu Rafael. 

Procurado pelo Diário, o Centro Paula Souza, que administra as Etecs, esclarece que foi aberta apuração preliminar da denúncia de possível má conduta do docente. A instituição afirma que o procedimento “está em fase final de relatório para envio à Procuradoria de Procedimentos Disciplinares da Procuradoria Geral do Estado, órgão que realiza a instauração do processo administrativo disciplinar”. 

Em nota enviada ao Diário, o Centro Paula Souza declara que não compactua com nenhuma forma de desrespeito e assédio e orienta diretores a abrir apuração preliminar para averiguar eventuais denúncias dos estudantes, independentemente de registro ou não do boletim de ocorrência pelas partes envolvidas no caso. 

“Por meio da Comissão Permanente de Orientação e Prevenção contra o Assédio Moral e Sexual, a instituição promove ações como capacitação de docentes, palestras e divulgação de informações visando à orientação e prevenção de atitudes contrárias aos direitos civis”. 

Estudantes, professores e toda a comunidade acadêmica têm à disposição os canais oficiais para denúncias e orientações: copams@cps.sp.gov.br e ouvidoria@cps.sp.gov.br



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;