Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 30 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Moedas: índice DXY do dólar cai, com Fed menos 'hawkish' e de olho em outros BCs



26/05/2022 | 18:46


O índice DXY, que mede o dólar frente seis moedas rivais, caiu nesta quinta-feira. Operadores avaliam a tendência do Federal Reserve (Fed) como menos hawkish, além de acompanharem decisões de outros bancos centrais pelo mundo. A segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre dos Estados Unidos também esteve no radar.

No fim da tarde em Nova York, o euro subia a US$ 1,0727 e a libra, a US$ 1,2601, enquanto a divisa americana caía a 127,09 ienes. O índice DXY fechou em baixa de 0,22%, a 101,829 pontos.

De acordo com a revisão publicada hoje, o PIB americano contraiu 1,5% nos três primeiros meses de 2022, em termos anualizados. Apesar do recuo, a High Frequency Economics (HFE) avalia que a economia americana ainda deve crescer ao longo do ano e que, no atual cenário, o aperto monetário pelo Fed não deve sofrer grandes alterações.

Na análise da Western Union, uma perspectiva menos hawkish para a política do Fed deixaria o dólar mais vulnerável, uma vez que recentemente os mercados haviam antecipado altas de juros pela instituição. Por sua vez, o BBH diz continuar a ver as quedas recentes como correção ao rali vivido pelo dólar em um prazo maior. "Mas continuamos surpresos em quanto o dólar caiu do pico no início do mês", afirma a instituição.

Ainda sobre bancos centrais, a autoridade monetária na Turquia decidiu manter os juros básicos em 14% pela quinta vez seguida, apesar da inflação recorde no país. A moeda local perdeu forças ante a americana e, no horário citado, o dólar subia a 16,3605 liras turcas, de 16,3091 no fim da tarde de ontem.

Na Rússia, o BC cortou a taxa básica de juros de 14% para 11%, na terceira redução consecutiva. A lira turca perdeu ainda mais forças com comentários do ministro de Finanças do país, Anton Siluanov. Ele afirmou que a declaração de default da dívida por alguns credores não afeta a economia e garantiu que todos os detentores dos títulos soberanos receberão pagamentos devidos por meio de um instrumento a ser oferecido.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;