Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

Como evitar fraudes na internet?

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação
Do 33Giga

26/05/2022 | 12:55


Todos os dias surgem novos golpes sendo aplicados por algum meio, seja pela internet, telefone ou até no meio da rua. Com o aumento do acesso à internet e o seu uso para diversas atividades, os golpistas, também conhecidos como scammers, estão desenvolvendo novos golpes a cada dia no meio digital.

Leia mais:
Entenda, de uma vez por todas, o que é 5G e seus benefícios
Guia de Compras: como escolher o smartphone perfeito para você
Álbum: todos os eletrônicos testados pelo 33Giga

Segundo o Serasa, no Brasil a cada 17 segundos alguém sofre um golpe, e apenas no comércio eletrônico são feitas mais de 3.600 tentativas de fraude, por minuto. O termo scammers, que significa golpista em inglês, são pessoas que criam perfis falsos com o objetivo de cometer fraudes na internet. O ambiente das mídias sociais e comércios online se tornou um lugar repleto de informações que os scammers podem usar para aplicar os golpes.

A internet se tornou um território com tanta informação vindo através de e-mails, redes sociais e mensagens no celular, que fica fácil se confundir e cair em um golpe. Os golpistas atuam das mais diversas maneiras, desde abordar a vítima através de redes sociais, utilizando perfis falsos, até enviando e-mails enganosos, oferecendo prêmios e benefícios falsos.

Conheça dois tipos de fraudes usadas na internet

Phising

O phising é um termo em inglês que deriva da palavra fishing – ou em português, pescar. Os golpistas utilizam essa tática para “pescar” os dados pessoais de usuários na internet, para isso eles utilizam e-mails e sites falsos.

Hoje quando acessamos qualquer site em busca de um produto, nossos dados de acesso ficam salvos na base de dados do site. A rede de internet possui acesso a esses dados e tenta nos oferecer produtos semelhantes como o pesquisado. Por exemplo, quando um usuário pesquisa sobre sites de apostas ou cassinos online, minutos depois, propagandas sobre sites semelhantes aparecem nos sites ou em e-mails em que o usuário navega.

Sabendo que muitos sites utilizam desses dados para oferecer promoções ou novos produtos para os consumidores, os golpistas tentam fazer propagandas falsas, muitas vezes enviando falsos e-mails. Nessa técnica conhecida como phising, os golpistas costumam enviar e-mail atraentes para o consumidor, seja pom ofertas de desconto, prêmios milionários ou até se passando por um banco.

O objetivo é atrair o usuário para dentro daquele e-mail e fazer ele clicar em um link, onde vão pedir alguns dados importantes para que eles apliquem o golpe; como número do CPF, RG, nome de familiares, e outros.

Para evitar esse tipo de fraude é importante desconfiar de propagandas muito chamativas, que geralmente possuem um tempo limitado para retirar o prêmio ou a oferta. O objetivo é criar uma pressão na vítima, para que tome uma decisão sem pensar.

No caso de sites que envolvem colocar dinheiro em uma carteira digital, como é o caso dos cassinos online, éimportante entrar apenas em sites confiáveis, e que de preferência, tenham passado por uma curadoria antes, como é feito pelo site especializado em cassinos online, https://casinorei.com.br.

Fique atento aos termos e condições dos bônus de cassino antes de os aceitar. Além disso, outro meio para garantir que o site que está entrando não é falso, é olhando se ao lado esquerdo do endereço de web do site possui um cadeado.

Em entrevista ao blog da Creditas, Filipe Bella do Serasa eCred, explica que o cadeado que as páginas possuem significam que a confiabilidade daquele site já foi checada por alguma empresa de segurança especializada.

Spoofing

Já para a técnica chamada de Spoofing, “enganar” em inglês, os golpistas fingem ser outra pessoa ou empresa. Com o objetivo de que a vítima forneça as suas informações pessoais diretamente para eles, o golpista pode se fingir de funcionário de uma empresa que a vítima já possui cadastro.

Os golpistas podem entrar em contato com a vítima de várias formas, via e-mail, conversas em redes sociais, como Whatsapp e Instagram, e até por meio de ligações. Geralmente entram em contato com a vítima, fingindo estar vindo através de uma companhia que vítima possui contrato. Podem pedir para que a vítima confirme seus dados devido a uma suposta atualização ou podem falar que a sua conta foi bloqueada e que a vítima deve passar os dados para desbloquear.

Criando um certo desespero na vítima e as pegando desprevenidas, os golpistas acabam pegando as informações pessoais e aplicando o golpe logo em sequência. Por isso é bom ressaltar que as empresas nunca entram em contato com o cliente solicitando informações pessoais como, senha, número da conta, CPF, RG e outros dados.

Caso o cliente se depare com contatos que solicitam essas informações, deve entrar em contato diretamente com a empresa, através de telefones confiáveis, e confirmar se o contato que receberam foi realmente da empresa.

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;