Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 30 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

FUABC contrata empresa de filho do vice de São Caetano

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Firma fecha acordo de 12 meses, por R$ 3,6 milhões, para fazer exames de endoscopia e fornecer equipamentos e materiais


Da Redação

26/05/2022 | 07:36


Comandada interinamente pelo vice Luiz Mario Pereira de Souza Gomes, que assumiu a presidência desde a renúncia de Regina Maura Zetone, no dia 18 de abril, a FUABC (Fundação do ABC) formalizou contrato no valor de R$ 3,6 milhões com a empresa Ecco Centro de Endoscopia, válido por 12 meses, para atender à rede municipal de saúde de São Caetano. O certame, homologado no dia 4 de maio, tem entre os sócios Alvaro Moura Seraphim, filho do vice-prefeito do município, Carlos Humberto Seraphim (PL).

Advogada constitucionalista com mestrado em administração pública pela FGV (Fundação Getulio Vargas) de São Paulo, Vera Chemim diz que o fato de o contrato envolver empresa que tem como sócio o filho de vice-prefeito “a princípio não tem impedimento legal”, pois “não há nenhuma vedação expressa” na Constituição Federal nem na Lei de Licitações. 

“No entanto, contrato entre uma empresa e a administração pública que envolve o filho de um vice-prefeito é, no mínimo, antiético e imoral. Caso haja uma contestação e o caso chegue ao Tribunal de Contas do Estado, este terá de se posicionar. E existe divergência em decisões tomadas por tribunais de contas, pois não há uma pacificação nessa questão”, comenta. Até porque, explica ela, como o contrato envolve filho de vice, há a desconfiança de que pode ter tido informações privilegiadas em relação ao certame.

Conforme o enunciado no processo licitatório, a vencedora deverá realizar exames e disponibilizar equipamentos e materiais em consignação ao complexo hospitalar do município e ao Hospital de Emergência Albert Sabin/UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Júlio Marcucci Sobrinho. Além da Ecco, participaram do certame as empresas Endoqualitty Endoscopia Gastrointestinal Diagnóstica e Terapêutica, 4ID Serviços Médicos e FGC Serviços Médicos, que ofereceu o menor preço.

No entanto, o valor global ofertado pela FGC (R$ 2.497.680) foi considerado “inexequível para a prestação dos serviços nos moldes exigidos neste certame e, portanto, a empresa está desclassificada”, diz trecho da ata da comissão de análise e julgamento da FUABC, assinada pelos integrantes Rodnei Molina, Rossana Campanucci e Willian Guilherme Souto.

Procurada, a FUABC informou, em nota, “que a contratação da empresa Ecco Centro de Endoscopia foi realizada pelo Complexo Hospitalar Municipal de São Caetano, mediante licitação, sem qualquer impugnação”. A instituição também afirma que “acionará seus órgãos de controle interno para avaliar o procedimento licitatório e sua legalidade.” 

Aponta ainda que, “ mediante diligência, constatou-se que não foi emitida a ordem de serviço que autoriza a empresa a iniciar a prestação do serviço contratado ou pagamentos em razão de contratação.”

CRISE
A contratação de empresa que tem como sócio filho do vice-prefeito de São Caetano, emboraa não seja ilegal, como apontou a advogada Vera Chemim, pode significar mais um problema para a instituição, que vive crise política desde a saída de Regina Maura, que levou o vice Luiz Mario Pereira de Souza Gomes a assumir interinamente o cargo. Aliado do prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), recai sobre ele e seu grupo suspeitas de manobrar internamente para evitar a posse de Maria Odila Gomes Douglas, indicada pelo prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), para o lugar da, agora, secretária de Saúde de São Caetano. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;