Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

China: dois principais líderes divergem nas mensagens sobre o impacto da covid



25/05/2022 | 21:04


Quando os dois principais líderes da China procuraram tranquilizar executivos estrangeiros cada vez mais frustrados com as rigorosas medidas de controle de covid-19 do país na semana passada, era como se a liderança chinesa estivesse falando com duas vozes.

Em 18 de maio, o presidente Xi Jinping falou por vídeo sobre os desafios econômicos que o mundo enfrenta como resultado da pandemia, mas fez pouca menção à própria crise econômica da China - agravada por sua abordagem de tolerância zero aos surtos de covid-19. Um dia depois, em uma reunião pessoal, o primeiro-ministro Li Keqiang adotou um tom mais franco e conciliador, concentrando suas observações principalmente nos problemas da própria China.

Falando a um grupo de altos representantes de multinacionais americanas, europeias e asiáticas que operam na China, Li disse que o país está "comprometido em encontrar um equilíbrio" entre fazer a economia funcionar e conter repetidos surtos, segundo pessoas que compareceram ao evento.

De particular interesse, disseram alguns participantes, Li não defendeu a estratégia de Covid-zero de Xi, em uma divergência de reuniões recentes que executivos estrangeiros tiveram com altos funcionários chineses, incluindo alguns envolvidos em comércio e comércio.

As observações de Li não desafiam abertamente a abordagem de Xi à pandemia. Mas os comentários expuseram o que autoridades do governo e conselheiros políticos descrevem como tensões latentes dentro do alto escalão do Partido Comunista sobre o compromisso de Xi com sua estratégia de zero Covid.

A abordagem de zero Covid, que se mostrou eficaz tanto para conter surtos quanto para fazer a economia funcionar novamente no início da pandemia, sustenta a visão de Xi de que a China administrou o vírus melhor do que o Ocidente. Mudar a política seria politicamente insustentável para o principal líder, dizem autoridades e assessores do governo, em um ano em que ele busca um terceiro mandato que quebra a tradição.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;