Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Maioria das Bolsas de NY fecha em baixa, com dados e sinalizações sobre techs



24/05/2022 | 17:45


As bolsas de Nova York fecharam na maioria em baixa nesta terça-feira, 24, em uma sessão na qual sinalizações sobre a conjuntura para empresas de tecnologia e da economia americana pesaram sobre as ações. A gigante de redes sociais Snap publicou perspectivas negativas para suas operações, incluindo dificuldades com a inflação e anúncios, o que levou a uma queda de mais de 40% nos papéis da companhia, o que se espalhou pelo setor. Já indicadores sobre indústria, serviço e vendas de moradia nos Estados Unidos apresentaram dificuldades para a economia local, reforçando temores por uma recessão.

No fechamento, o Dow Jones subiu 0,16%, a 31.928,62 pontos, o S&P 500 teve baixa de 0,81%, a 3.941,48 pontos, e o Nasdaq recuou 2,35%, a 11.264,45 pontos.

"As ações estão rapidamente desistindo dos ganhos de ontem, depois que uma ira de dados econômicos dos EUA sinalizou uma ampla fraqueza em grandes partes da economia. Tudo está enfraquecendo em um ritmo mais rápido do que se esperava e isso não é um bom presságio para o consumidor dos EUA e para as perspectivas de curto prazo para as ações", avalia Edward Moya, analista da Oanda.

O índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) mostrou uma desaceleração mais acentuada na atividade econômica à medida que as pressões inflacionárias persistem. Já as novas vendas residenciais caíram 16,6% para 591 mil casas, muito abaixo do que o intervalo previsto de 700 mil a 765 mil. "A economia dos EUA não está desmoronando, mas a fraqueza que está experimentando é muito pior do que muitos esperavam", avalia Moya.

Já ações da Snap caíram 43,08% depois que empresa cortou suas previsões com preocupações sobre o ambiente macro, incluindo interrupções contínuas na cadeia de suprimentos, aumento dos custos de insumos, aumento das taxas de juros e riscos geopolíticos decorrentes da guerra na Ucrânia, aponta Moya. Segundo o BMO Capital Markets, é incomum que um anúncio específico desse tipo arruíne o sentimento geral nas mesas de operações. "Infelizmente, este é um sinal dos tempos, nada mais", explica. "A perspectiva pessimista da Snap arrastou todas as redes sociais e ações de publicidade para baixo, pois parece claro que a maioria das empresas não evitará o cenário macro preocupante", afirma. Meta (-7,62%) e Pinterest (-23,64%) estiveram entre as principais afetadas.

Para a Capital Economics, a economia começará a desacelerar à medida que os aumentos das taxas do Federal Reserve (Fed) começarem a pesar, pressionando o crescimento dos lucros. "Mas, dado o quadro de inflação, duvidamos que isso impeça o banco central de apertar", avalia, e isso, por sua vez, pode significar que as ações dos EUA vão cair ainda mais, conclui.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;