Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Greve do servidores do BC é mantida por 90% do votos válidos em assembleia



24/05/2022 | 16:13


Nas vésperas da reunião do Comitê de Estabilidade Financeira (Comef) - marcada para a quinta-feira - os servidores do Banco Central decidiram continuar em greve por tempo indeterminado. A manutenção do movimento foi aprovada por 90% dos votos válidos em assembleia virtual da categoria realizada nesta terça-feira, 24. De acordo com o Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), as divulgações periódicas de estatísticas e as atividades não essenciais da autoridade monetária continuam paralisadas.

"Vamos trabalhar para que o Comef não saia ou para que tenha um escopo reduzido", afirmou o presidente do sindicato, Fabio Faiad. Questionado, contudo, o BC informou que a reunião do Comef segue agendada para a próxima quinta-feira.

Segundo Faiad, não há nenhuma reunião marcada com a diretoria do Banco Central para retomar as negociações. A categoria pede recomposição salarial de 27%, além de pautas de reestruturação de carreira.

Estão suspensas as divulgações regulares do BC, como o Boletim Focus, os dados do fluxo cambial e as estatísticas fiscais, de crédito e do setor externo. Há também atrasos na divulgação da taxa Ptax diária, o que deixa o mercado financeiro em constante atenção. Já o Pix e o Sistema de Pagamentos Brasileiro (SPB) estão em operação.

A greve dos servidores do BC foi iniciada no dia 1º de abril. De 20 de abril a 2 de maio, a categoria fez uma trégua, como um "voto de confiança" no presidente do BC e na tentativa de avançar nas negociações do governo. Mas, sem novidades, retomou a paralisação no dia 3 de maio.

Como mostrou o Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) no dia 12 de maio, o BC recuou de uma proposta de minuta de Medida Provisória enviada ao Ministério da Economia para reestruturar as carreiras dos servidores do órgão.

O texto previa um reajuste salarial de 22% para analistas e técnicos da autoridade monetária, com pagamento a partir de junho de 2022, enquanto o governo quer conceder um aumento linear de 5% para todas as categorias do funcionalismo federal. Após a divulgação da minuta, o BC alegou haver "inconsistências" na proposta, que foi retirada do Sistema de Geração e Tramitação de Documentos Oficiais do Governo Federal (Sidof).

Além dos servidores do BC, os do Tesouro Nacional iniciaram uma greve na segunda-feira, 23, e os da Controladoria-Geral da União (CGU) iniciam o movimento paredista na próxima segunda-feira, 30. As duas categorias pleiteiam um reajuste de 27% e não aceitam aumentos salariais diferenciados para as carreiras policiais.

No Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a categoria decidiu na segunda-feira encerrar a greve que durava 62 dias. Para por fim à paralisação, os servidores assinaram um acordo com o Ministério do Trabalho e Previdência.

A Pasta se comprometeu a enviar à Casa Civil, em até 30 dias, uma proposta de Medida Provisória (MP) ou projeto de lei em regime de urgência para tornar a carreira como típica de Estado. A proposta deve estabelecer como critério mínimo de admissão para o cargo de técnico o nível superior de escolaridade.

Os servidores das carreiras de planejamento e Orçamento, de especialistas em políticas públicas e gestão governamental e de comércio exterior realizam paralisação nesta terça-feira.

As categorias reivindicaram a abertura da mesa de negociação para que sejam repostas as perdas inflacionárias, estimadas em 30% pelo IPCA e mais de 60% pelo IGP-M durante o governo Jair Bolsonaro (PL).



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;