Fechar
Publicidade

Sábado, 25 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Maioria das Bolsas europeias fecha em queda, com covid na China, PMIs e BCE



24/05/2022 | 13:23


O mercado acionário europeu fechou em queda nas principais praças nesta terça-feira, 24, pressionado pelo aumento de casos de covid-19 em Pequim, capital da China, bem como leituras fracas de índices de gerentes de compras (PMIs, na sigla em inglês) na zona do euro, Alemanha e Reino Unido.

Além disso, investidores também acompanharam mais uma rodada de comentários sobre a política monetária do Banco Central Europeu (BCE), com alguns dirigentes da entidade defendendo subir o juro básico em 50 pontos-base, enquanto outros adotam postura mais cautelosa, incluindo a presidente da instituição, Christine Lagarde.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em queda de 1,14%, aos 431,58 pontos.

Dentre as principais bolsas da Europa, a de Frankfurt registrou o pior desempenho desta terça, com o índice DAX em queda de 1,80%, aos 13.919,75 pontos.

A principal economia do Velho Continente registrou alta no PMI composto - que engloba indústria e serviços - de maio, com avanço inesperado da indústria. O desempenho do setor de serviços, porém, ficou abaixo do estimado.

Já na zona do euro e no Reino Unido, as leituras foram mais fracas, e o PMI composto britânico atingiu sue menor nível em 15 meses.

Na bolsa londrina, o FTSE 100 recuou 0,39%, aos 7.484,35 pontos, menos do que os demais índices europeus. Ações de bancos como HSBC (+3,57%), Barclays (+3,20%) e Standard Chartered (+2,26%) ajudaram o índice a sustentar algum fôlego. O tombo de mais de 12% da Evraz, uma companhia mineradora de propriedade parcial de oligarcas russos, puxou o FTSE 100 para baixo.

No cenário macroeconômico, os temores pela desaceleração da China voltaram ao foco, após Pequim informar aumento no número de casos de covid-19. Na segunda-feira, autoridades da metrópole chinesa registraram 802 novas infecções e ordenaram que testes em massa fossem realizados, bem como o isolamento de diversos conjuntos residenciais na cidade.

Na seara monetária, dirigentes do BCE voltaram a comentar sobre a trajetória dos juros na zona do euro. Presidente do BC comum, Christine Lagarde afirmou que não há pressa para subir juros, mas reforçou que a entidade abandonará as taxas negativas. Também dirigentes do BCE, os presidentes do Banco da Áustria, Robert Holzmann, e da Letônia, Martin Kazaks, discutiram a possibilidade por alta de 50 pontos do juro, enquanto o chefe do BC francês, François Villeroy de Galhau, argumentou na direção contrária.

Entre outros mercados europeus, o índice parisiense CAC 40 fechou em baixa de 1,66%, aos 6.253,14 pontos, enquanto o FTSE MIB, de Milão, recuou 1,08%, aos 23.876,08 pontos.

Contrariando o movimento geral, as praças ibéricas subiram, com o índice madrilenho IBEX 35 em alta de 0,06%, aos 8.631,20 pontos, e o lisboeta PSI 20 com ganhos de 0,85%, aos 6.130,90 pontos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;