Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

As cefaleias


Do Diário do Grande ABC

19/05/2022 | 23:59


Dores de cabeça, ou cefaleias, compõem grupo de disfunções dolorosas muito comuns que possuem grande impacto na qualidade de vida das pessoas, sendo atualmente consideradas uma das principais causas de incapacidade na população adulta. Até 52% da população mundial, conforme estudo recente, relatam dor de cabeça pelo menos uma vez ao ano. Efetivamente, muitas pessoas não conseguem trabalhar ou estudar de forma adequada por sofrerem de cefaleia. Existem diferentes tipos de dores de cabeça, que geralmente são causadas por enxaqueca ou cefaleia tensional, mas também por doenças mais complicadas, como tumores cerebrais, ruptura de aneurismas ou infecções cerebrais, entre outras. Cabe ao médico definir o correto diagnóstico da cefaleia e estabelecer o melhor tratamento para cada caso, podendo inclusive solicitar, quando necessário, exames complementares como tomografia de crânio e ressonância magnética de encéfalo.


Dentre as várias causas, a enxaqueca se destaca pelo grau de incapacidade que pode gerar. Essa dor, que compromete entre 12% e 15% da população, se caracteriza por ser hemicraniana, intensa, pulsátil, acompanhada de náusea e/ou vômitos, aversão à luz e aos barulhos. Enxaqueca piora com atividades físicas rotineiras e tem duração superior a quatro horas, podendo ocorrer com frequência variável. Não raras vezes, é antecedida por alterações da visão, denominadas de aura. Outra dor de cabeça muito comum é a cefaleia tensional, com duração podendo variar entre 30 minutos e sete dias. Pode ocorrer em 31% a 72% da população ao longo da vida, é bilateral e opressiva, de intensidade fraca a moderada, não sendo agravada por atividade física rotineira nem apresenta náusea ou vômitos, podendo eventualmente acarretar aversão a luz e barulhos.


Outro tipo de dor de cabeça é a cefaleia em salvas, que, embora muito mais rara, acometendo em torno de 0,1% da população, é altamente comprometedora, sendo considerada uma das piores dores de cabeça que existem. Pode ocorrer várias vezes ao dia, sendo sempre do mesmo lado, geralmente em torno do olho, que fica vermelho e lacrimeja, ocorrendo a obstrução da narina que está do mesmo lado da dor. É importante mencionar que o tratamento correto da dor de cabeça, estabelecendo a adequada profilaxia da mesma, além de melhorar muitos os sintomas dolorosos, ajuda a evitar o uso desnecessário de analgésicos ou anti-inflamatórios, que podem inclusive agravar a dor de cabeça, levando a quadros de cefaleia crônica. Por isso, é fundamental saber qual é o tipo de dor de cabeça que o paciente apresenta para que se possa fazer o correto tratamento e a melhor investigação para cada caso.

Carlos Roberto Caron é professor de neurologia da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná.


PALAVRA DO LEITOR

R$ 8,8 milhões em 2022
Engraçado, né? Briga por voto auditável e esconde a fatura do cartão corporativo (Flávio Bolsonaro alega que gastos do cartão corporativo do pai são para segurança). Esse cara é uma piada.
Fabio William
do Facebook


Simone Tebet
Boa notícia. Chega dos mesmos (Política, ontem). Afinal, teremos em quem votar: Simone Tebet para presidente. Senadora exemplar, como seu pai, o também ex-senador Ramez Tebet.
Nevino Antonio Rocco
São Bernardo


Classe média!
Recebi pelo WhatsApp o local luxuoso da festa de casamento de Lula e Janja, juntamente com discurso que ele proferiu em que dizia: ‘Nós temos classe média que ostenta padrão de vida que nenhum lugar do mundo a classe média ostenta. Nós temos classe média que ostenta padrão de vida que não tem na Europa e não tem em muitos lugares, pois as pessoas são mais humildes. Aqui na América Latina...’ Esquece que é a classe média que mais paga impostos, que sustenta as mordomias dos políticos profissionais. E é para essa classe média que vem pedir voto?
Tânia Tavares
Capital


Etec
Minha filha estuda na Etec Júlio de Mesquita, em Santo André, no 3º ano do ensino médio. Após dois anos difíceis de pandemia, acreditei que neste último ano ela conseguiria assimilar maior conhecimento, porém, não é isso que ocorre. Este ano houve professores afastados por má conduta e também levamos o caso de assédio moral de professor de matemática durante reunião de pais. A conduta do mesmo parece ter melhorado, mas me preocupa o despreparo dos docentes, o fato de só termos mais alguns meses de ano letivo e o conteúdo ensinado estar ultrapassado e mal conduzido. Dia 17 a professora de inglês passou exercício onde a metodologia de ensino está ultrapassada. Quando questionada, mencionou que tinha que ensinar o que estava no livro, porém, a expressão correta era uma das opções de resposta e ela considerou errada. Ela não domina a língua inglesa e está dando aulas de inglês? Acompanhei suas aulas on-line com minha filha e vi que não sabe falar inglês.
Dgeici Mascher Cruz
Santo André


Ensino domiciliar
Ensino domiciliar (nome chique para homeschoolling) não se trata de ser pauta desse ou daquele governo. O fato é que os tempos são outros. A pandemia expôs a decadência do ensino público. Além do despreparo das escolas e professores, alunos tiveram perdas irrecuperáveis por conta do longo tempo em que as escolas ficaram fechadas. O que antes era ideal, deixou de ser hoje, por inúmeras razões. Quem estudou em casa não perdeu e dizer que alunos que estudam em casa perdem o contato social não é verdade. Esses alunos frequentam clubes, praias, desenvolvem, portanto, habilidades manuais, além de viajar conhecendo o mundo. O que seria ideal? Que toda criança tivesse acesso a ensino gratuito e de qualidade, mas o sistema faliu. E quem pode paga. É triste, mas é real, estamos em salve-se quem puder.
Luciana Lins
Campinas (SP)


Polarização
Os candidatos restantes da terceira via têm o ego maior que o corpo. Trataram de expulsar Sergio Moro do páreo, único com capacidade de enfrentar a polarização. Estão atrás de pesquisas que até agora não trouxeram resultado que mostre quem seria capaz de derrotar Bolsonaro ou Lula. Com relação aos apoios, é de conhecimento público que os ditos parlamentares irão com quem vencer a eleição, já que apostar em candidato à Presidência seria perda de receita do milionário fundão. E também conhecemos de cátedra aqueles que apoiam quem dá mais, os que poderiam fazer mais pelo Brasil. Assim, sobrará para as urnas decidir o tamanho desse imbróglio que está posto.
Izabel Avallone
Capital
 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;