Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Índice da FecomercioSP de adequação de estoques sobe 2,3% na margem em maio



19/05/2022 | 12:02


O Índice de Adequação dos Estoques (IE) da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) cresceu 2,3% na margem em maio, após alta de 1,5% em abril, informou nesta quinta-feira, 19, a entidade.

Com o resultado, o IE atingiu 122,9 pontos, o maior nível desde dezembro de 2019 (124,3 pontos). Na comparação com o mesmo mês de 2021, os dados de maio representam crescimento de 24,0%, uma aceleração em relação à alta interanual de 19,3% registrada em abril.

A proporção de empresários consultados que consideram a situação dos seus estoques adequada avançou 1,6 ponto porcentual entre abril e maio, de 59,4% para 61,0%. Essa razão atingiu o maior nível desde os 61,8% de dezembro de 2019.

Entre os que consideram ter estoques inadequados, a FecomercioSP apurou queda na visão de estoques acima do ideal (27,9% para 26,1%). Em contrapartida, a razão dos empresários que consideram ter menos estoques do que o adequado cresceu de 11,6% em abril para 12,2% em maio.

Porte

O IE cresceu mais entre as empresas de grande porte (4,1%) do que entre as pequenas (2,3%). Na amostra analisada pela FecomercioSP, 67,2% das grandes empresas considera ter estoques adequados, contra 60,9% das pequenas.

Nas grandes empresas, 18,8% dos empresários consideravam ter mais estoques do que o adequado, contra 14,1% que avaliavam ter menos estoques do que o ideal. Entre as pequenas empresas, as razões são de 26,2% e 12,2%, respectivamente.

Setor

Nas aberturas por setores, as empresas de bens semiduráveis puxaram o crescimento do IE, com alta de 6,6%. Em seguida, aparecem as empresas de bens duráveis, com aumento de 1,6%, e as empresas de bens não duráveis, que registraram aumento de 0,6%.

Entre as companhias de bens semiduráveis, 59,8% dos empresários consideravam ter estoques adequados, contra um total de 38,0% que consideravam seus estoques inadequados, sendo 15,8% acima do ideal e 22,2%, abaixo.

Nos bens semiduráveis, 64,5% dos empresários percebiam adequação dos estoques, contra 28,7% que avaliavam ter estoques acima do ideal e 6,8%, abaixo. Entre as empresas de bens duráveis, 59,8% viam a sua situação como adequada, enquanto 29,3% disseram ter mais estoques do que o ideal e 10,7%, menos.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;