Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 30 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Estado será parceiro da indústria da região

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Encontro realizado na Agência de Desenvolvimento do Grande ABC resultou na criação de fórum


Beatriz Mirelle
Especial para o Diário

19/05/2022 | 08:47


O governo de São Paulo confirmou participação no Fórum da Indústria Regional, dedicado à retomada do setor nas sete cidades e com o propósito de pautar também ações dos governos estadual e federal na região. Decisão foi anunciada durante o encontro Futuro da Indústria no ABC, promovido pela Agência de Desenvolvimento Econômico do Grande ABC na USCS (Universidade Municipal de São Caetano). Os objetivos são organizar encontros setoriais para entender as necessidades das empresas e alinhar as atuações do poder público, sindicatos, universidades, entre outras entidades, para impulsionar o setor. A reunião contou com 307 pessoas.

“Criar o fórum de discussão sobre a indústria no Grande ABC é para organizar encontros e escutar quais são as dores de cada setor. Depois debater o financiamento industrial e a relação com o comércio exterior. A partir daí, decidiremos ações do poder público, universidades, sindicatos e indústria, assim como pautaremos os governos estadual e federal”, explicou o presidente da Agência, Aroaldo Oliveira da Silva.

Para ele, a reunião foi essencial para pontuar problemas regionais, refletir sobre o rumo do desenvolvimento econômico e alertar sobre a atual preocupação empresarial em adequar a mão de obra com novas competências. “A questão da formação passou por diversas mesas. Também foi discutida a inserção regional no mundo e como podemos nos conectar às outras cadeias de produção e interagir com a capacidade interna que temos”, comentou.

A secretária de Desenvolvimento Econômico do Estado, Zeina Latif, reafirmou o compromisso com as demandas da região e garantiu o apoio do governo estadual com as discussões propostas. Já Albino Colantuono, do Decomtec (Departamento de Competitividade e Tecnologia) da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), expôs diagnósticos sobre o desempenho da indústria e ressaltou que o setor que mais se desenvolveu entre 2007 e 2019 foi o de alimentos, que cresceu 25,6% no Grande ABC e 10,8% no Estado. “Devemos reduzir custos e aumentar a concorrência. É necessário dialogar com as empresas para saber quais melhorias são possíveis para mantê-las na região.”

Ele também considera imprescindível utilizar a capacidade de intervenção para melhorar a oferta urbana e iniciar ações de dinamização e fortalecimento das companhias e atividades existentes.

Antonio Megale, diretor de assuntos governamentais da Volkswagen e ex-presidente da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), acredita no potencial de manutenção das indústrias no Grande ABC. “Principalmente pelo nosso posicionamento logístico e por ter uma cadeia bem estruturada de autopeças. Temos grande capacidade de pressionar o Estado para realizar mais investimentos. O Brasil tem uma vocação enorme para ser um dos grandes produtores de tecnologia da indústria automobilística mundial”, declarou.

Norberto Luiz Perrella, diretor do Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo), concorda que a sensibilização do poder público é fundamental para contribuir positivamente para a indústria regional. “Precisamos de organização, porque possuímos tanto potencial humano quanto de trabalho. Não podemos mais perder oportunidades”, disse.

Segundo Ciro Marino, da Abiquim (Associação Brasileira da Indústria Química), o Brasil é qualificado, mas a falta de segurança jurídica atrapalha. “Não devemos transferir empregos para outros países. Precisamos incentivar resultados internos e pensar na segurança dos suprimentos. Vemos que quase 20% das emissões de gases de efeito estufa vêm dos transportes. Então, se produzirmos e comercializarmos mais perto da origem, melhor.” 

O evento contou com a participação do vice-presidente do Consórcio Intermunicipal e prefeito de Ribeirão Pires, Clovis Volpi (PL), do prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), anfitrião do encontro, e dos chefes dos Executivos municipais de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), e de Rio Grande da Serra, Claudinho da Geladeira (PSDB), e da vice-prefeita de Diadema, Patty Ferreira (PT) 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;