Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 30 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Em sessão volátil, dólar retoma alta por cautela com inflação nos mercados



18/05/2022 | 10:04


O dólar mostrou volatilidade na primeira hora da sessão desta quarta-feira: começou os negócios em alta, após cair mais de 2% ontem e de zerar ganhos em maio, alinhado à valorização do índice DXY do dólar ante seis moedas principais em meio a expectativas de aperto monetário do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano). No entanto, a moeda chegou a cair, ajustando-se ao sinal negativo ante alguns pares emergentes do real, mas volta a se valorizar.

Com a agenda de indicadores esvaziada, os investidores locais aguardam as falas do diretor de Política Monetária do BC, Bruno Serra Fernandes e do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto. Eles participam de eventos em São Paulo e no Rio, respectivamente, durante a manhã.

Nos mercados internacionais, predomina cautela com a inflação, após os fortes CPIs da zona do euro e do Reino Unido em abril reforçarem expectativas de possível aperto monetário do BCE antes do esperado e de aceleração da alta de juros pelo Banco da Inglaterra.

Ontem, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou que há "amplo apoio" no comitê de política monetária para um novo aumento da taxa de juros em 50 pontos-base em junho nos EUA e que a instituição pode ser mais agressiva se a inflação não ceder e que não hesitará se tiver que subir a taxa de juros além do nível neutro. "Teremos que reduzir crescimento para controlar a inflação", disse, ponderando que o mercado de trabalho poderá continuar forte apesar do aperto da política monetária.

O Índice DXY do dólar ante seis moedas principais desacelera a alta em relação a mais cedo, enquanto a moeda americana passou a cair há pouco frente a algumas divisas emergentes e ligadas a commodities, como peso chileno, peso mexicano e rand sul africano. A queda de 1,72% do dólar ante o rublo por volta das 9h44 chama atenção, após Finlândia e Suécia apresentarem pedidos formais de adesão à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) nesta quarta-feira.

Os investidores repercutem também a queda da bolsa chinesa de Xangai, após o preço médio de novas moradias nas 70 maiores cidades da China ter caído em abril pela primeira vez desde novembro de 2015, quando a economia chinesa enfrentou uma grave desaceleração.

Às 9h44, o dólar à vista voltava a subir, a R$ 4,9450 (+0,04%), após mínima em queda a R$ 4,9230 e máxima em alta, a R$ 4,9580. O dólar para junho ganhava 0,13%, a R$ 4,9650, após cair até R$ 4,9410 e subir à máxima de R$ 4,9765.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;