Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 9 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá planeja abrir até 500 vagas para a frente de trabalho

Claudinei Plaza/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Projeto do governo Marcelo Oliveira prevê bolsa no valor de um salário mínimo, além de auxílio-alimentação e vale-transporte


Wilson Moço
Do Diário do Grande ABC

10/05/2022 | 09:02


O governo do prefeito de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), encaminhou à Câmara projeto de lei no qual propõe a criação de até 500 bolsas-auxílio para o programa de Incentivo ao Trabalho e Requalificação Profissional. O número é três vezes maior do que os 150 benefícios ofertados atualmente pela administração na chamada frente de trabalho.

As vagas são destinadas a moradores em situação de vulnerabilidade social. O período de trabalho é de 40 horas semanais, com contrato de 12 meses prorrogável por igual período (hoje é de um ano, sem prorrogação). A administração informou que haverá processos de inscrição e de seleção, e que a Secretaria de Administração vai estabelecer as normas e procedimentos que vão nortear a implementação do programa.

“Nosso governo tem trabalhado para todos os munícipes, em especial aos que mais precisam. Temos andado pela cidade e percebemos o quanto as pessoas têm passado necessidades. Recebemos a herança de um governo que nunca se preocupou verdadeiramente com o social”, comentou o prefeito.

Segundo o petista divulgou logo depois de assumir o governo, em janeiro do ano passado, sua equipe encontrou a Prefeitura com R$ 165 milhões em dívidas herdadas da gestão de Atila Jacomussi (ex-PSB, atual Solidariedade). Marcelo Oliveira apontava débitos com fornecedores, precatórios, INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e funcionalismo público, entre outras pendências.

Situação agravada pela crise sanitária causada pela pandemia de Covid-19, que obrigou o poder público, de modo geral, a destinar a maior parte dos recursos para garantir o atendimento a infectados e adotar medidas para conter o avanço do novo coronavírus.

FOCO NO SOCIAL
Apesar de a saúde ser o foco, a administração afirma ter direcionado atenção também a outras áreas, e destaca as iniciativas para beneficiar moradores em situação de vulnerabilidade social, como a distribuição de cestas básicas e de hortifrúti e a criação do programa Mauá na Luta Contra a Fome, destinado a auxiliar famílias que viram a renda despencar devido aos impactos da pandemia, como desemprego ou redução de salário.

“A fome tem de ser combatida e deve ser uma luta de todos. Por isso criamos o programa Mauá na Luta Contra a Fome, o vale-transporte social, o que fez de Mauá a primeira cidade do Brasil a colocar em prática o projeto de oferecer passagens de ônibus gratuitas a desempregados. E agora o projeto de contratação de até 500 pessoas para trabalhar na frente de trabalho. Estamos, de fato, preocupados em reverter em Mauá essa triste situação pela qual atravessa nosso País, de desemprego e fome”, afirmou Marcelo Oliveira.

Os futuros contratados após a aprovação do projeto, que o prefeito espera ter rápida apreciação e aval dos vereadores, receberão bolsa-auxílio no valor de um salário mínimo, mais benefícios (vale-transporte e auxílio-alimentação), além de 160 horas de capacitação e requalificação profissional (dentro da jornada), para atuar em diversas áreas da Prefeitura. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;