Fechar
Publicidade

Sábado, 8 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Ministro da CGU diz que saída de Palocci não prejudicará economia


Da Agência Brasil

27/03/2006 | 21:52


O ministro Waldir Pires, da CGU (Controladoria-Geral da União), disse que o afastamento do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, não causará prejuízos à economia. "As linhas gerais da política econômica do governo estão assentadas. Nós estamos nos fortalecendo como uma nação que quer crescer, quer transformar a sociedade brasileira, fortalecer as instituições livres. E esse é o dever de todos nós", acentuou.

Pires participou da abertura da conferência da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) sobre Financiamento para o Empreendedorismo e o Crescimento de Pequenas e Médias Empresas. Ele disse que "o país quer ganhar sempre no avanço da credibilidade, das relações sérias, no plano ético e por isso acontecimentos assim não vão alterar as linhas de ação".

"As crises políticas fazem parte da natureza da democracia. Dentro das instituições políticas abertas sempre acontecem fatos importantes e num determinado instante a solução se dá com naturalidade. Claro que há algumas coisas lamentáveis, mas isso é próprio do sistema democrático, do presidencialismo, em que o presidente da República adota a posição decisiva como chefe de Estado e de Governo", disse o ministro. Ele lembrou que "a situação do Brasil hoje é bem diferente da que se verificava nos dias iniciais do governo do presidente Lula, que viveu uma realidade econômica muito difícil em 2003".

Indagado se a mudança do ministro da Fazenda poderia favorecer uma mentalidade diferente na condução da política monetária, o ministro disse considerar "natural que a partir do momento em que o país reduz a sua fragilidade, em que ele ganha a confiança diária cada vez maior da sociedade internacional, se fortalecendo internamente, no campo financeiro, os passos econômicos vão se tornando mais fáceis".

Para Waldir Pires, o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Guido Mantega, anunciado para assumir o Ministério da Fazenda, "tem a experiência de ter sido companheiro de Antonio Palocci na primeira formação de governo".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ministro da CGU diz que saída de Palocci não prejudicará economia

Da Agência Brasil

27/03/2006 | 21:52


O ministro Waldir Pires, da CGU (Controladoria-Geral da União), disse que o afastamento do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, não causará prejuízos à economia. "As linhas gerais da política econômica do governo estão assentadas. Nós estamos nos fortalecendo como uma nação que quer crescer, quer transformar a sociedade brasileira, fortalecer as instituições livres. E esse é o dever de todos nós", acentuou.

Pires participou da abertura da conferência da OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico) sobre Financiamento para o Empreendedorismo e o Crescimento de Pequenas e Médias Empresas. Ele disse que "o país quer ganhar sempre no avanço da credibilidade, das relações sérias, no plano ético e por isso acontecimentos assim não vão alterar as linhas de ação".

"As crises políticas fazem parte da natureza da democracia. Dentro das instituições políticas abertas sempre acontecem fatos importantes e num determinado instante a solução se dá com naturalidade. Claro que há algumas coisas lamentáveis, mas isso é próprio do sistema democrático, do presidencialismo, em que o presidente da República adota a posição decisiva como chefe de Estado e de Governo", disse o ministro. Ele lembrou que "a situação do Brasil hoje é bem diferente da que se verificava nos dias iniciais do governo do presidente Lula, que viveu uma realidade econômica muito difícil em 2003".

Indagado se a mudança do ministro da Fazenda poderia favorecer uma mentalidade diferente na condução da política monetária, o ministro disse considerar "natural que a partir do momento em que o país reduz a sua fragilidade, em que ele ganha a confiança diária cada vez maior da sociedade internacional, se fortalecendo internamente, no campo financeiro, os passos econômicos vão se tornando mais fáceis".

Para Waldir Pires, o presidente do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), Guido Mantega, anunciado para assumir o Ministério da Fazenda, "tem a experiência de ter sido companheiro de Antonio Palocci na primeira formação de governo".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;