Setecidades Titulo Coluna Memória
Paranapiacaba. Arquibancadas em construção.Toda contenção pronta. O mais antigo estádio ganha contornos.

A chuva atrasou a conclusão das obras. Um problema de última hora prejudicou os trabalhos. Mas esta página “Memória” não tem dúvidas: boleiros do Serrano e do Grande ABC, historiadores do futebol e do Memofut, Santo André vai oferecer ao mundo futebolístico um troféu de valor incalculável para a história do esporte bretão. Com uma novidade a mais

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC
08/03/2022 | 05:24
Compartilhar notícia


Dos 34 observatórios paulistas do Serviço Meteorológico, o do Alto da Serra foi o que registrou maior volume de chuvas em fevereiro de 1922, ao lado de Santos, Ribeirão Preto e Vila Jaguaribe. Naquele mês foram 21 dias de chuvas na vila ferroviária, com índice de 259,2 milímetros.
Fonte: Belfort de Mattos, chefe do Serviço Meteorológico, em boletim enviado aos jornais.

A Vila de Paranapiacaba está linda. Como diz o secretário do Meio Ambiente de Santo André, Fábio Picarelli, anteriormente a exceção eram os imóveis preservados, hoje é ao contrário: a maioria das casas, estabelecimentos comerciais e públicos, tanto da vila inglesa como a da vila portuguesa, foi ou está sendo recuperada e ocupada.

“Memória” voltou à Paranapiacaba semana passada, guiada pelo próprio secretário e sua assessoria, mais o vereador Eduardo Leite e o representante do Memofut (Grupo Literatura e Memória do Futebol), Luiz Romano. E o que vimos foi de entusiasmar.

O estádio do Serrano foi nossa última parada. As antigas arquibancadas de madeira serão reconstruídas, como as originais – estas não tinham como ser recuperadas. No sentido oposto, que podemos chamar de “Populares”, um imenso muro de arrimo tem a sua base pronta. Ao mesmo tempo em que sustenta fisicamente o morro em torno, servirá como arquibancada para, pelo menos, 750 pessoas.

Junto às novas arquibancadas, está pronta a estrutura dos novos vestiários dos jogadores e da arbitragem, preservando-se o túnel que recebe as águas que são aproveitadas. Perto dali estão as nascentes do Rio Grande, principal formados da Represa Billings.

Calcula-se que choveu, torrencialmente ou com menor intensidade, durante 66 dias seguidos, repetindo-se as chuvas do primeiro semestre de 1922, um século atrás. Isso atrasou as obras, bem como a localização de rochas junto aos alicerces das arquibancadas.

MÃOS À OBRA
Os próximos passos serão os decisivos para o complemento das obras. Uma equipe de técnicos e operários atua firmemente.

E a casa ao lado, no final da Rua Fox, que serve como acampamento dos trabalhadores, já tem uma destinação: será o memorial da história do futebol e esporte em Paranapiacaba.

A ideia, disse o secretário Fábio Picarelli, será dar ao memorial o nome de Charles Miller, o ferroviário que trouxe o futebol para o Brasil. A família do homenageado será consultada a respeito, graças à colaboração do Museu do Futebol instalado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

A PRIMEIRA FOTO. Sexta-feira, 4 de março de 2022. Participantes da visita às obras do estádio do Serrano: fotógrafo Matheus Nascimento (o primeiro à esquerda), Eduardo Leite (vereador), Fábio Picarelli (secretário do Meio Ambiente), Carlos Eduardo Palazzi (diretor de Paranapiacaba e Parque Andreense), Luiz Domingos Romano (representante do Memofut), Guilherme Ribeiro de Souza Pinto (gerente de projetos e preservação histórica), Alecsandro Vinicius Ribeiro Nunes (encarregado de preservação histórica) e Mauricio Tintori Piqueira (historiador)

Crédito da foto 1 – Projeto Memória

O ESTÁDIO. O projeto do engenheiro Ricardo Takeci Miaciro assinala os pontos em obras, das novas e antigas arquibancadas aos vestiários, mais os alambrados e grama a revestir o campo centenário

Crédito da foto 2 – Acervo: PMSA


DIÁRIO HÁ 50 ANOS
Quarta-feira, 8 de março de 1972 – Ano 14, edição 1786

MANCHETE – Hortas de Utinga estão contaminadas. O médico João de Camargo, chefe do Centro de Saúde de Utinga, anunciou ontem (7-3-1972) que vai ordenar a interdição de 90% das chácaras do Subdistrito de Utinga, pois constatou que todas elas estão utilizando águas poluídas na irrigação das verduras que produzem.


DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Domingo, 8 de março de 1992 – ano 33, edição 8014

MANCHETE – Brizola pode afundar Silvio, afirma Fleury. Leonel Brizola era o cacique do PDT. O animador Silvio Santos, filiado ao PDT, pretendia entrar na política como candidato a prefeito de São Paulo pela sigla. Luís Antonio Fleury Filho era o governador de São Paulo.

TRANSPORTES – Passagem do trem aumenta para 600 cruzeiros e volta a custar mais que a de ônibus.

EM 8 DE MARÇO DE...

1902 – O correspondente do Estadão em Ribeirão Pires voltava a enviar notícias. No retorno, escreveu: Por motivos imperiosos, deixamos, há nove meses, de levar ao conhecimento dessa criteriosa folha os interessantes fatos que aqui se têm passado, principalmente nestes últimos tempos. Vamos de novo solicitar um pequeno espaço nas colunas de “O Estado de S. Paulo”, a fim de darmos novas notícias desta localidade.

1922 – A Estrada de Ferro São Paulo Railway distribuía nota à Imprensa, informando: Os trens continuam a transitar pelos velhos planos com as demoras inevitáveis devido ao sistema mais vagaroso e a capacidade mais reduzida dos mesmos. Estão suspensas as viagens noturnas.

Prossegue a desobstrução da barreira que caiu sobre os trilhos na Serra. Eric Johnson, superintendente.

HOJE
Dia Internacional da Mulher
Dia Internacional da Cor


SANTOS DO DIA
João de Deus
Herênia
Filêmon


MUNICÍPIO PAULISTA

Hoje é o aniversário de Tietê. Em 1842 a Freguesia da Santíssima Trindade de Pirapora, atualmente a cidade de Tietê, foi elevada à categoria de vila com a denominação de Pirapora do Curuçá.

Falecimentos 

Santo André

Izabel Oliveira Souza, 98. Natural de Parnamirim (Pernambuco). Residia na Vila Príncipe de Gales, em Santo André. Dia 4. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Irene dos Santos de Jesus, 95. Natural de Itaberaba (Bahia). Residia no Jardim Santo André, em Santo André. Pensionista. Dia 4. Cemitério Nossa Senhora do Carmo, Curuçá.

Luiz Gianoglio, 77. Natural de Santo André. Residia na Vila Assunção, em Santo André. Dia 4. Cemitério da Saudade, Vila Assunção.

São Bernardo

Violeta Pereira da Silva, 95. Natural de Juramento (Minas Gerais). Residia no bairro Baeta Neves, em São Bernardo. Dia 4. Cemitério Municipal de Claro das Poções (Minas Gerais).

Luiz de Lira, 90. Natural de Presidente Juscelino (Rio Grande do Norte). Residia na Vila Cruzeiro, em São Bernardo. Dia 3. Jardim da Colina.

Lurdes Dias da Silva Escudeiro, 82. Natural de São Bernardo. Residia no Parque Rio Grande, em São Bernardo. Dia 4, em Santo André. Cemitério dos Casa.

São Caetano

Maria Aparecida Vechia, 91. Natural de Bragança Paulista. Residia no bairro Santa Paula, em São Caetano. Dia 2. Cemitério das Lágrimas.

Aparecida Zucatelli Lopes, 75. Natural de Inhuma (São Paulo). Residia na Vila Valparaíso, em Santo André. Pensionista. Dia 5, em Santo André. Cemitério das Lágrimas.

Diadema

Maria Helena Gomes Teixeira, 93. Natural de Bocaina (São Paulo). Residia no Centro de Diadema. Dia 5. Cemitério Municipal de Diadema.

Mauá

Sonia Maria Grecco, 75. Natural de Mauá. Residia no bairro Jardim, em Santo André. Professora. Dia 4, em Santo André. Vale dos Pinheirais.

Ribeirão Pires

Osmar Tadeu da Silva, 70. Natural de Presidente Venceslau (São Paulo). Residia na Vila Suíça, em Ribeirão Pires. Dia 4. Cemitério São José.
 




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;