Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Por uma vaga inédita


Diego Sartorato
Especial para o Diário

29/07/2006 | 08:05


“A política é feita pelos homens e para os homens.” A afirmação é da candidata a deputado federal Maria Regina Gonçalves (PV), vereadora e vice-prefeita de Diadema entre 1997 e 2000. Coordenadora nacional do PV Mulher, Regina quer mudar esse quadro e ser eleita a primeira representante do sexo feminino pelo Grande ABC à Câmara dos Deputados.

“As mulheres só conquistam alguma coisa na política com muita luta, muita raça. Nós temos que escolher entre seguir uma carreira, cuidar dos filhos ou fazer política. Para os homens é mais fácil, porque sempre têm uma mulher para apoiá-los”, afirma.

A vereadora espera se beneficiar pela nova lei eleitoral para chegar a Brasília e, caso eleita, quer brigar pelo aprimoramento da reforma eleitoral. “As novas leis são mais restritivas, mas precisamos ir mais longe. Hoje, não se elege o candidato com a melhor proposta, vence o melhor marketing. Temos que trazer a política para o debate de idéias.”

Ela, no entanto, se diz contra a cláusula de barreira, ítem da lei eleitoral que está causando dor de cabeça para o PV. Hoje, um partido precisa de pelo menos 5% dos votos nacionais e 2% em nove estados para não perder direitos políticos, como recursos do fundo partidário e escolha de líderes no Congresso e na Mesa Diretora na Câmara. Na última eleição, o Partido Verde teve apenas 1,35% dos votos nacionais.

“O problema da política brasileira não é o excesso de partidos, mas o excesso de políticos corruptos. Como se pode querer transformar uma população tão diversificada como a do Brasil em três ou quatro partidões que, aliás, estão todos envolvidos nos escândalos de corrupção?”, questiona Regina.

Pioneira – Se for eleita, Regina também será pioneira em outro quesito: Diadema nunca teve um deputado federal. Apesar de a administração de José Filippi Júnior (PT) estar politicamente alinhada ao governo Lula, ela acredita que a representação na Câmara faz falta. “Os deputados trabalham regionalmente, mas, na hora de fazer as emendas, com certeza priorizam sua cidade. O ideal seria que todas as cidades do Grande ABC tivessem um deputado em Brasília. Pelo tamanho do nosso colégio eleitoral, quatro deputados federais é muito pouco”, avalia.

Hoje, os parlamentares da região em Brasília são Vicentinho e Professor Luizinho (ambos do PT), Ivan Valente (Psol) e Edinho Montemor (PSB).

As propostas da vereadora para conquistar o voto do eleitorado estão voltadas para questões da cidade. “Quero lutar por uma ampla reforma tributária. Discordo do Lula, que diz que a indústria vai às mil maravilhas. Nossos empresários estão sofrendo muito com os impostos.”

Uma das medidas que ela defende é a implantação do imposto verde, que abate tributos das empresas que tiverem projetos de restauração do meio-ambiente. “Empresas menos oneradas também aumentam o número de empregos e a geração de renda”, conclui. (Supervisão de Lola Nicolás)


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;