Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Casa Branca diz não crer que Putin já tenha tomado decisão sobre Ucrânia



07/12/2021 | 17:50


O Conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, afirmou nesta terça-feira que a administração não acredita que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, já tenha tomado uma decisão sobre uma potencial invasão da Ucrânia. Segundo o representante, a prioridade de Washington junto a seus aliados no momento é evitar tal movimento, e, de acordo com Sullivan, o presidente norte-americano, Joe Biden deixou claro em sua conversa com o homólogo russo nesta terça quais seriam as consequências.

"Medidas que não tomamos em 2014, estamos prontos para fazer agora", afirmou o conselheiro, em uma referência à crise no Leste da Ucrânia alguns anos atrás.

Segundo Sullivan, Biden "foi firme com Putin, como sempre é", e sugeriu que a melhor alternativa é uma desescalada de tensões. De acordo com o representante, a intenção é uma adoção dos Acordos de Minsk, que tratam sobre a disputa, incluindo um cessar fogo.

Depois da vídeo chamada com Putin, Biden conversou com os aliados europeus e irá tratar com os líderes do Congresso sobre o tema.

O democrata terá ainda uma reunião com o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, na quinta-feira, segundo Sullivan, que disse que "há muito trabalho a se fazer nos próximos dias".

De acordo com o conselheiro, "buscaremos o caminho diplomático, mas vamos preparar outras medidas". Entre as ações de Washington, o conselheiro não quis dar detalhes sobre sanções, mas indicou uma série de suportes aos aliados na Europa, incluindo militares.

Questionado sobre o oleoduto NordStream 2, Sullivan indicou que retaliações à obra são uma prioridade em caso de uma invasão russa. Segundo ele, conversas com o novo governo alemão sobre o tema ocorreram, assim como com a administração anterior.

Ainda sobre a conversa com Putin, o conselheiro disse que houve boa discussão sobre a questão do Irã. "EUA e Rússia trabalham em conjunto para garantir que Teerã não tenha armas nucleares", e desenvolveram o acordo nuclear de 2015, lembrou. Sobre as recentes críticas de que os negociadores iranianos não estariam levando as tratativas pelo retorno ao acerto a sério, Sullivan respondeu que "quanto menos o Irã demonstrar seriedade nas negociações, mais ficará isolado".



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;