Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

tecnologia@dgabc.com.br | 4435-8301

3 tendências de e-commerce e de SEO para 2022

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Da Redação
Do 33Giga

07/12/2021 | 11:55


*Por João Lee // Um dos pilares do budismo, o conceito da impermanência, pode e deve ser aplicado ao e-commerce. Fórmulas usadas hoje para atrair mais visitantes podem não mais gerar resultados em alguns meses.

Leia mais:
10 celebridades para seguir no TikTok
Dicas do TikTok para bombar um perfil na rede social

Vale estar atento às tendências e às novidades tecnológicas deste ambiente em eterna transformação, repleto de concorrentes ágeis e agressivos. E, nesse sentido, reúno aqui algumas tendências que prometem marcar o e-commerce no próximo ano.

Sistema de voz

Um dos principais destaques – não apenas de 2022, mas dos próximos anos também – será o uso de sistemas de voz para a realização de buscas. Ainda que estejamos acostumados a usar dispositivos com interfaces visuais de textos, baseados na digitação, será necessário quebrar esse paradigma.

O conteúdo oferecido para as buscas também deve ser feito de acordo como falamos e não mais como escrevemos. O desafio do e-commerce está exatamente neste ponto, porque o jeito como falamos é diferente de como escrevemos.

Então, como responder de maneira relevante e de forma dinâmica uma busca realizada por voz? Se essa busca for voltada às compras, a primeira dica é ter comandos de voz que percorram todas as etapas do processo para concluir a aquisição de um bem ou de um serviço.

Também devemos parar de olhar para o Google como um elemento determinante de SEO. Já é hora de começarmos a analisar outras empresas e outros meios que também trazem importantes receitas online.

Um exemplo é a assistente virtual Alexa, da Amazon. Ela já gera compras, sem pedir licença ou sequer passar pelo Google.

O processo, inclusive, é muito fácil, se lembrarmos que a Amazon, que a criou, é um marketplace com M maiúsculo. Aliás, não é à toa que a Amazon seja um dos grandes players que brigam pela liderança neste segmento, ao lado da Apple e do Google.

Quer ficar por dentro do mundo da tecnologia e ainda baixar gratuitamente nosso e-book Manual de Segurança na Internet? Clique aqui e assine a newsletter do 33Giga

Migração para o Mobile

Cada vez mais pessoas acessam mais conteúdo e realizam mais buscas no celular em detrimento do desktop. Pesquisa realizada pela americana eMarketer, mostra que nos EUA as vendas via m-commerce cresceram 41,4% em 2020 e que crescerão mais 15,2% em 2021, alcançando US$ 359,32 bilhões.

As projeções apontam que até 2025 as vendas anuais via e-commerce pelo celular devem quase dobrar. Por aqui, o mercado acompanha este movimento. Segundo o relatório Webshoppers realizado pela Ebit|Nielsen, o m-commerce teve um crescimento recorde de 78% e um faturamento de 45,9 bilhões de reais em 2020.

Esse novo hábito tende a se intensificar com a chegada da frequência 5G. Portanto, a estratégia de SEO deve levar em conta essa tendência.

Por quê?

Se no desktop o objetivo como marca é fazer com que o usuário acesse a página, no mobile o objetivo passa a ser que este mesmo usuário instale o app ou deixe algum ponto de contato. E, claro, estratégias específicas precisam ser criadas nesse sentido.

E essas opções alteram a forma como entendemos o estágio de maturação desse potencial cliente. Igualmente, a maneira como pensamos o conteúdo para atrair esse lead muda e nos obriga a dar ainda mais peso ao CRM (sistema de gestão de relacionamento com o cliente) e à régua de relacionamento.

A força chinesa

A terceira tendência que se está chegando, moldando o cenário de 2022, vem do outro lado do mundo. Mais especificamente da China, pelas mãos de seus players gigantes.

O que víamos até aqui era um mercado de dispositivos polarizado em Samsung e Apple. Mas, com a entrada da Xiaomi para brigar com os grandes, o cenário mudou radicalmente.

Da mesma forma, quando pensamos em buscas com o objetivo de compras via e-commerce, tradicionalmente temos o Google e seus algoritmos em mente. No entanto, talvez tenha chegado a hora de considerarmos cada vez mais o Baidu e os grandes marketplaces chineses como Alibaba e Shopee. Todos três vêm registrando enormes índices de crescimento de vendas.

*João Lee é sócio fundador da startup Simplex, especializada em aumento de tráfego e conversão de vendas on-line.

 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;