Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 25 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Mesmo com Auxílio Brasil, transferência de renda perderá R$ 11 bilhões este ano



04/12/2021 | 17:45


Mesmo com o Auxílio Brasil de R$ 400, o gasto do governo em 2022 com programas de transferência de renda será menor do que o deste ano: serão R$ 11 bilhões a menos, enquanto 22 milhões de famílias ficarão sem proteção social.

Tanto a medida provisória que cria o Auxílio Brasil quanto a PEC dos Precatórios, que abre espaço fiscal para a nova despesa, foram aprovadas nesta semana no Senado. O governo quer pagar o novo valor do benefício antes do Natal. Ao aprovar o Auxílio, o Senado manteve o dispositivo que garante o pagamento a quem se encaixa nos critérios, mas vinculou a fila à disponibilidade de orçamento.

O Executivo deve encerrar este ano com um gasto de R$ 96,8 bilhões, somando o auxílio emergencial, o programa Bolsa Família e o novo Auxílio Brasil, conforme projeção do consultor de orçamento do Senado Vinicius Amaral. Com a aprovação da PEC, os recursos para o Auxílio Brasil devem atingir R$ 85,8 bilhões no ano que vem. Na prática, a despesa com o repasse de renda para famílias carentes terá uma queda real de R$ 11 bilhões em relação a 2021, considerando os efeitos da inflação.

"Só podemos esperar um agravamento da situação. Em torno de 20 milhões de beneficiários vão perder o acesso e ainda não surgiu nenhuma proposta sobre que tipo de auxílio terão essas pessoas. Tem se falado em zerar a fila, mas essa fila é só anterior, e vai se formar uma nova", disse Amaral.

De acordo com o Ministério da Cidadania, o auxílio emergencial contemplou 39,4 milhões de famílias em 2021. Já o Auxílio Brasil atenderá a 17 milhões a partir de dezembro deste ano. "É compromisso desta gestão ampliar de forma contínua o alcance das políticas socioassistenciais e atingir, com maior eficácia, a missão de superar a pobreza e minimizar os efeitos da desigualdade socioeconômica", disse a pasta em resposta à reportagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;